Uma família do bairro Santa Tereza, na região Leste de Belo Horizonte,  vive o drama de ter dois irmãos internados em estado grave, um com febre amarela já confirmada, outra com a suspeita investigada. O fotógrafo Carlos Alexandrino Oliveira Martins, de 39 anos, mora há 20 anos  nos Estados Unidos e veio visitar a família em Belo Horizonte.

Ele passou alguns dias na casa da mãe, no distrito de São Sebastião das Águas Claras,  conhecido como Macacos, em Nova Lima, região metropolitana, e tinha passagem de volta comprada para os Estados Unidos na quarta-feira (24). Ele começou a passar mal há quatro dias e foi internado há dois, no Hospital Eduardo de Menezes, na capital. A febre amarela foi confirmada ontem e ele foi transferido para o CTI. Carlos não tinha tomado a vacina.

A irmã dele, a professora universitária Ananda Alexandrino de Oliveira Martins, de 43, também estava na casa da mãe em Macacos, na mesma época do irmão. No caso dela, a febre amarela ainda é uma suspeita. “Ela tomou a vacina no sábado e estamos torcendo para ser uma reação da vacina”, torce o irmão dos pacientes, o produtor cultural Pedro Martins.

Continua após a publicidade

Ananda estava internada em um hospital particular e foi transferida ontem para o mesmo hospital onde está o irmão, o Eduardo de Menezes, referência no tratamento da febre amarela. A professora, que também está no CTI, será submetida a uma transfusão de plaquetas.

Pedro Martins faz um apelo às pessoas para que doem sangue no Hemominas, em nome dos seus irmãos e de vários outros pacientes com febre amarela que estão no Eduardo de Menezes.

“São muitos pacientes com febre amarela que chegam principalmente de Nova Lima e de Mariana”, disse o produtor cultural. Na manhã desta quinta-feira (25), a Regional Leste da Prefeitura de Belo Horizonte começou a visitar as casas do bairro Santa Tereza e vacinar os moradores.


Comments are closed.