O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Minas Gerais informou, na quarta-feira (24), que as eleições suplementares para prefeito e vice de Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, foram adiadas. Liderada por Roseli Pimentel (PSB), a chapa eleita em 2016 teve o registro cassado em diversos processos. Segundo a Justiça eleitoral, as eleições suplementares, que estavam agendadas para 4 de março, agora serão realizadas em 8 de abril.

A prefeita está em prisão domiciliar desde o dia 7 de outubro do ano passado. Ela foi detida por suspeita de participação na morte de um jornalista da cidade, que fazia críticas à sua administração e denunciava diversas irregularidades.

Segundo a polícia, a prefeita pagou R$ 20 mil pela execução do assassinato e, para isso, cometeu outro crime: peculato. As investigações apontam que o dinheiro saiu da prefeitura, por meio de uma nota fiscal que simulou a compra de três toneladas de mamão para merenda escolar.

Continua após a publicidade

Roseli Pimentel também foi alvo de uma operação que apura suspeita de fraude na Secretaria Municipal de Saúde. Atualmente, o presidente da Câmara Municipal, Sandro Coelho (PSB), responde pela prefeitura da cidade.

De acordo com o TRE, a mudança na data do pleito foi determinada para “dar maior amplitude e efetividade à liminar” concedida pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes. Em 28 dezembro do ano passado, ele havia determinado a alteração parcial da resolução que regulamentava as eleições na cidade. Roseli teve o mandato cassado cinco vezes e ainda estava no cargo por causa de liminar.


Comments are closed.