A Subsecretaria de Políticas sobre Drogas (Supod), da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), está realizando ações educativas e preventivas contra o uso indevido de álcool e drogas na capital, durante o período de pré-Carnaval. Na noite de sexta-feira (26/1) a primeira inciativa aconteceu durante o cortejo da equipe de percussão do projeto “Juventude e Polícia”, na Avenida Alberto Cintra, bairro Cidade Nova, na região Leste da capital.

Durante a ação, foram distribuídos materiais informativos e realizadas abordagens pelas equipes técnicas da Supod. As peças entregues contêm informações sobre os malefícios do uso do álcool e drogas além de endereços e telefones de onde se pode buscar ajuda em Minas Gerais. No domingo (28/1) foi a vez da tradicional Feira Hippie da Afonso Pena e da Feira do Mineirinho receberem a blitz educativa.

Até o início oficial dos dias de folia, serão mais de dez ações de prevenção com blitze educativas durante os ensaios e blocos que antecedem o Carnaval. Segundo a Superintendente de Acolhimento Integral aos Usuários de Drogas da Sesp, Fabiane Rodrigues Oliveira, neste período do ano, além de o consumo de álcool e drogas ser intensificado, há muitos registros de primeira experimentação e a prevenção é sempre a melhor alternativa para evita-los.

Continua após a publicidade

A Subsecretária de Políticas Sobre Drogas, Patrícia Magalhães, também conta que essas ações preventivas e educativas no período pré-carnavalesco vêm sendo efetivas na divulgação dos meios de auxílio aos usuários.

“Os números de atendimento no Centro de Referência Estadual em Álcool e outras Drogas (Cread) nos mostram um aumento na busca por ajuda no período pós-Carnaval e acreditamos que essa procura é devido à ampliação do acesso à informação de que temos esse serviço”, afirmou Patrícia.

Parceiros da Política sobre Drogas, os jovens do projeto “Juventude e Polícia” estiveram presentes na primeira ação ajudando a chamar a atenção dos foliões na aglomeração de bares da Avenida Alberto Cintra.

Para o Sargento Johnny, coordenador do projeto Polícia e Juventude, apresentações como a ocorrida são importantes para mostrar aos jovens que estão assistindo que é possível ir pra folia e se divertir sem precisar fazer uso de álcool ou drogas. “O grupo tocando gera empatia em quem está assistindo. E a gente acredita que serve de exemplo e influencia”, disse.

O projeto Juventude e Polícia é coordenado pela Polícia Militar com a finalidade de aproximar os jovens da polícia e realizar um trabalho preventivo para afastá-los do mundo das drogas. Por meio de oficinas de música, dança, teatro e artes gráficas, o projeto vem transformando a vida dos participantes.

Amanda Silva, 16 anos, foi uma das abordadas durante a ação da Supod na Alberto Cintra. Ela acredita que é importante este tipo de iniciativa para lembrar os foliões de que é preciso aproveitar o carnaval sem se esquecer da prudência. “A gente vê muito adolescente fazendo uso abusivo, principalmente, de álcool, e alertá-los sobre os riscos é um passo importante para cautela durante o carnaval”, opinou.

Fonte: Agência Minas


Comments are closed.