Os médicos peritos dos servidores estaduais estão em greve há 40 dias em todo o estado. Cerca de 900 pessoas já foram afetadas com a paralisação.

Os médicos liberam os professores que estão sendo admitidos para trabalharem este ano nas escolas de Uberlândia e de outras 26 cidades. Com a paralisação, as contratações podem ser prejudicadas.

A greve pode prejudicar os alunos, pois algumas disciplinas podem demorar a ter um professor para ministrar.

Continua após a publicidade

Os peritos reivindicam salários atrasados e quantidade de médicos para atender uma demanda tão grande. Em Uberlândia, são cinco médicos para atender 26 cidades. A saída para melhorar o trabalho dos profissionais é a abertura de um novo concurso público.

Outro ponto que preocupa os servidores da educação são os professores que estão afastados e vão voltar a lecionar antes de realizar uma perícia. Quando os agendamentos voltarem, os docentes terão de ser retirados da sala de aula e os alunos vão ter que esperar um professor substituto.

Segundo o médico perito, Aroldo Costa Lopes, o governo ainda não tentou acordo e não há previsão do serviço se normalizar.

 


Comments are closed.