Com previsão de receber 3,6 milhões de foliões, o Carnaval de Belo Horizonte terá um reforço no policiamento. Durante a festa, aproximadamente 12.400 militares estarão na rua da capital e região metropolitana para garantir os eventos com segurança, conforme anunciado nesta quarta-feira (31) pela corporação. Neste ano, serão 8 mil militares empenhados no Carnaval em Belo Horizonte. O número é maior que o de 2017, quando 7 mil homens trabalharam na capital mineira.

Para que a corporação possa garantir a tranquilidade da população, todas as férias e folgas dos agentes de segurança foram suspensas. Os militares do serviço administrativo do comando e os alunos em formação na academia também serão todos desviados para o policiamento de Carnaval.

 

Novidade

Continua após a publicidade

Além do aumento no efetivo, o estado também utilizará pela primeira vez um sistema integrado para acompanhar ocorrências policiais em tempo real, no local em que elas acontecem. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública, a plataforma permite aos oficiais verificar instantaneamente tanto situações criminais, como brigas e roubos, quanto eventos como engarrafamentos e quedas de árvores.

O objetivo, segundo a pasta, é agilizar a tomada de decisões da Polícia Militar e de outras 15 forças de segurança que também terão acesso ao sistema. Os agentes vão poder cadastrar as ocorrências em um aplicativo de celular, para facilitar o acompanhamento de todas as forças de segurança.

A Polícia Civil também desenvolverá ações especiais em todo o Estado com o objetivo que cumprir mandados de prisão em aberto e tirar das ruas pessoas em “potencial cometedores de crime”, que podem colocar em risco a vida e a segurança da população.

Haverá aumento também no efeitos nas quatro Centrais de Flagrantes (Ceflans) em Belo Horizonte. Nas cidades onde o Carnaval historicamente recebe grande número de pessoas, terá reforço no efetivo em todas as delegacias de plantão no Estado.

 

Interior

Para o interior, a segurança também será reforçada nos 45 municípios que terão festas de médio e grande porte.

A fiscalização nas rodovias estaduais e federais também será reforçada com 2 mil militares, etilômetros e radares. A operação de Carnaval irá atuar entre os dias 09 e 14 de fevereiro.

Outro questão ressaltada pela corporação foi em relação às pessoas que vão para os blocos com a intenção de provocar desordem. A Polícia Militar, que já se reuniu com os líderes de blocos caricatos e de gestores das festas carnavalescas, foi enfática ao afirmar que está preparada para agir com rigor, caso seja necessário.

Os atendimentos de ocorrências comuns, que não estão relacionadas à folia, não serão alterados.


Comments are closed.