Mutirão para vacinar ‘atrasados’

em 13 de janeiro de 2018 3:00:00 AM
0

A confirmação nesta semana de mais quatro mortes por febre amarela em Minas Gerais – totalizando dez de junho de 2017 até hoje – fez nesta sexta-feira (12) muita gente correr aos centros de saúde para se imunizar. Sábado (13) e domingo (14), prefeituras de ao menos quatro das seis cidades que tiveram registro de óbitos no Estado farão mutirões de vacinação em unidades básicas e até de casa em casa.

Quem ainda não se protegeu, mesmo com o surto ocorrido em 2016, deve procurar o um ponto de saúde em Minas. Atualmente, a cobertura vacinal de febre amarela no Estado está em torno de 81%, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SES), sendo que as estatísticas apontam uma cobertura menor entre homens com idades de 15 e 59 anos.

Publicidade

Moradores de Nova Lima, na região metropolitana de Belo Horizonte, estão assustados com a confirmação da terceira morte por febre amarela na cidade. Na sexta, muitos enfrentaram filas nos postos de saúde. Uma quarta morte, a do serralheiro Euler Teles Souza, de 41 anos, que foi enterrado nesta sexta-feira no Cemitério Parque Municipal é investigada.

Há também um paciente de Nova Lima internado no Hospital Eduardo de Menezes, na capital, com diagnóstico confirmado da doença. De acordo com o secretário Municipal de Saúde, José Roberto Machado, nenhuma das cinco pessoas que contraíram a febre na cidade teriam se imunizado.

Para este sábado, a secretaria vai intensificar a vacinação nas regiões onde os casos aconteceram, com equipes da saúde da família visitando casas. “Estamos conferindo os cartões de vacina, fazendo orientação, e quem não tiver vacinado, a gente vacina na hora”, informou José Roberto.

Cinco unidades de saúde também estarão funcionado neste sábado, com equipe reforçada, das 8h às 17h, nos bairros Honório Bicalho, Galo, Santa Rita, Cascalho e São Sebastião das Águas Claras (Macacos). Um ponto de vacinação também foi montado no Alphaville, que faz divisa com Brumadinho, onde foram constatados alguns casos.

Segundo o secretário, há motivo para a população ficar preocupada. “Apesar da gente ter 96% de cobertura, existem 4% da população que não estão cobertos”, disse Machado. Nova Lima tem 92 mil habitantes. Segundo o secretário, 24 mil vacinas já foram aplicadas, desde o ano passado.

Brumadinho, na região metropolitana, Mariana, na Central, e Mar de Espanha, na Zona da Mata, também terão mutirão no fim de semana. Até o momento, não foi registrado nenhum caso de febre amarela com transmissão em Belo Horizonte, segundo a prefeitura. O que houve foram dois moradores que contraíram a doença fora da capital.

 

Em Mariana, idosos são preocupação

Em Mariana, na região Central do Estado, foram confirmadas duas mortes nesta semana. A prefeitura realiza neste sábado um mutirão de vacinação, das 7h às 14h, na Policlínica do bairro Cabanas, na cidade. A preocupação maior são os moradores de distritos onde ocorreram os óbitos – Cláudio Manoel e Águas Claras – e, principalmente, entre os idosos.

“As duas mortes que tivemos foram entre pessoas acima de 60 anos. O grande risco é que eles só podem tomar a vacina com pedido médico, e, por isso, muitos não estão vacinados”, afirmou o prefeito Duarte Júnior (PPS).

A exigência do pedido médico parte de recomendação do Ministério da Saúde e é válida para gestantes, mulheres que amamentam crianças menores de 6 meses e pessoas com mais 60 anos.


Assista à reportagem sobre a capela construída no meio da mata há 63 anos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite o comentário
Por favor, digite seu nome