Então, Brilha! reage a polêmica na web

Um dos blocos mais antigos e queridos de Belo Horizonte, o Então, Brilha!, tem recebido uma chuva de críticas nas redes sociais por conta do ex-integrante do grupo, Gustavo Amaral, o Gustavito, alvo de uma denúncia, em março do ano passado, de que teria dopado uma mulher e mantido relação sexual com ela. O artista, que se afastou espontaneamente do grupo após o escândalo surgir na internet há quase um ano, participou recentemente de um ensaio da agremiação, o que não foi bem recebido por foliões.

O Então, Brilha! pediu desculpas às mulheres que disseram ter seus comentários apagados da página do bloco no Facebook. Segundo o grupo, várias pessoas administravam o perfil, e não houve controle. “Consideramos grave o silenciamento de quaisquer questionamentos e posições individuais contra o machismo e a favor da luta das mulheres”, declarou, em nota divulgada anteontem.

Surgido em 2010, o grupo é famoso por valorizar o ser humano e as suas lutas, e desfila sempre na rua Guaicurus, uma das mais degradadas e marcadas pela prostituição e pelo preconceito. O bloco ressaltou que Gustavito não vai participar do desfile deste ano. “Acreditamos que ele tenha o direito de se manifestar e se defender a respeito. Porém, foi também decidido, em consenso, que ele não integraria a banda do bloco em suas apresentações a partir daí”, completou.

Resposta

A assessoria de imprensa de Gustavito ressaltou, em nota, que o músico decidiu, por espontânea vontade, não participar dos eventos de Carnaval deste ano para se concentrar em sua defesa. “Ele aguarda com serenidade a decisão do processo que ele está movendo na Justiça. A verdade prevalecerá. O músico vai provar sua inocência no tribunal”, argumentou.

A Polícia Civil informou que o caso não foi denunciado oficialmente para que seja investigado. <CF82>(LC)

Blocos de rua prometem se adequar para desfilar em BH

Mulher desfere 16 golpes de podão contra idoso e acaba presa em Capinópolis