Acontece nesta sexta-feira, 2, o julgamento de Guilherme Magalhães de Oliveira, de 24 anos, principal suspeito de ter assassinado Jorge Luiz da Silva, de 33 anos, em 28 de janeiro de 2017, após uma briga entre os dois no centro de Uberlândia.

O julgamento começou às 13h desta sexta-feira e será conduzido pelo juiz Dimas Borges de Paula. Sete jurados irão determinar se Guilherme deve ser considerado culpado ou inocente pelo caso. Familiares da vítima realizaram uma pequena manifestação no local, pedindo justiça.

___ O texto continua após a publicidade ___

A irmã de Jorge, Valdirene Silva, mostrou confiança na condenação do réu. “Muito confiante, vai ter a condenação, ele vai ter o que ele merece, não pode ficar assim não. Até quando ele vai tirar a vida de outras e fazer outras pessoas sofrer?”, disse, em entrevista ao vivo para a TV Vitoriosa.

Entenda o caso

Na madrugada de 28 de janeiro de 2017, Jorge Luiz da Silva, de 33 anos, foi morto a tiros após se envolver em uma briga de trânsito em frente a uma casa noturna, na Avenida Floriano Peixoto.

Segundo a Polícia Militar (PM), a confusão começou após uma batida entre os veículos dos dois envolvidos. Eles se desentenderam e chegaram a entrar em luta corporal antes de o suspeito sacar uma pistola e atirar contra a vítima. Jorge chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado ao Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), mas não resistiu aos ferimentos e faleceu pela manhã.

Os policiais realizaram um cerco bloqueio para descobrir o paradeiro de Guilherme, que foi encontrado no Bairro Saraiva. Em entrevista para a equipe de reportagem da TV Vitoriosa, alegou que agiu em legítima defesa e que Jorge teria lhe ameaçado de morte após a batida.

Guilherme possui passagens anteriores pela polícia e já respondia por um outro homicídio que ocorreu em 2014, no Bairro Brasil.

Saiba Mais

Homem é assassinado após se envolver em uma briga na porta de uma boate

Informações: Vinícius Lemos


Comments are closed.