‘Não vamos aceitar’, diz Pimentel sobre risco de paralisia do metrô

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, reagiu, na manhã desta segunda-feira (5), à reportagem do jornal O Tempo – “Sem verba, metrô da capital pode parar em junho”, publicada nesse domingo (4). O petista diz que deve ir a Brasília para reunir-se com o presidente Michel Temer para evitar a redução nos horários do metrô de BH. 

No vídeo, Pimentel se mostra indignado com a situação de corte de verba para o metrô da capital e diz que já pediu o agendamento de uma audiência com Temer para buscar solução para o corte de verbas da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), que pode resultar na paralisia dos serviços do metrô de BH.

“Agora querem parar o metrô de Belo Horizonte. É impossível. Minas vai reagir. Eu já pedi audiência ao presidente Temer. Vou falar com o prefeito [Alexandre] Kalil e nós vamos juntos lá. É impraticável esse tipo de atitude com Minas Gerais. Nós não vamos aceitar”, diz Pimentel.

 Assista:

A reportagem de Ailton do Vale e Angélica Diniz mostrou que o metrô de Belo Horizonte só tem recursos assegurados para funcionar até junho. O contingenciamento também afeta os sistemas de Recife, Natal, João Pessoa e Maceió. A verba destinada para 2018 é de R$ 150 milhões, 42% menor que a do ano passado, quando foram empenhados R$ 260 milhões nos cinco Estados.

A reportagem de O TEMPO teve acesso a um comunicado que revela ainda que, se não houver mudança no cenário, a partir de março, a operação vai ser restrita aos horários de pico em todas essas regiões em que o modal é gerido pela CBTU.

O comunicado é assinado pelo diretor presidente da CBTU, José Marques de Lima, e direcionado ao presidente do Conselho de Administração da empresa, Pedro Cunto de Almeida Machado. Lima avisa que, em função do severo corte promovido pelo governo federal no orçamento dos metrôs em 2018, a companhia prepara medidas que vão afetar diretamente o emprego de milhares de terceirizados, além de prejudicar os cerca de 210 mil passageiros que utilizam o metrô da capital mineira todos os dias.

Para evitar a paralisação total do sistema no segundo semestre, a partir desta segunda-feira (5), a companhia vai notificar empresas prestadoras de serviço sobre a suspensão total ou parcial dos contratos, que envolvem manutenção, conservação e limpeza. E, a partir de 5 de março, o metrô vai passar a funcionar somente nos horários de pico, de segunda a sexta-feira: das 5h30 às 8h30 e das 17h30 às 19h30.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Serviços da Copasa e Cemig bateram recorde de público nos Fóruns Regionais

Carro pega fogo e fica completamente destruído, em Ituiutaba