Sergio Sette Câmara faz ressalvas, mas acredita em início das obras do estádio do Atlético ainda neste semestre

Arena MRV foi aprovada em setembro do ano passado; torcedor espera ansioso pelo início das obras Fonte: Reprodução

O projeto da Arena MRV foi aprovado pelo Conselho Deliberativo do Atlético em 18 de setembro de 2017. Desde então, o torcedor alvinegro segue ansioso pelas próximas etapas que, finalmente, darão aval às obras. O presidente do clube, Sérgio Sette Câmara, está confiante que a construção começará em breve. De acordo com o mandatário, caso tudo dê certo, o estádio Elias Kalil começará a ser erguido ainda neste semestre.

“Tenho uma reunião para discutir esse assunto. Está dentro do cronograma que foi estabelecido. A gente acredita que, neste semestre, vamos dar início às obras. É o que a gente espera. Existem alguns obstáculos a serem vencidos. Tecnicamente falando, não posso dizer nada, porque não tenho conhecimento. Sei que aprovação de projeto, entre outras coisas, nem sempre acontece dentro de um prazo que a gente gostaria que se efetivasse. Se tudo ocorrer bem e os obstáculos forem ultrapassados, ainda neste semestre a gente vai começar as obras”, disse.

O projeto da Arena MRV ainda não chegou à Câmara Municipal de Belo Horizonte para apreciação, o que só ocorrerá depois de o prefeito da capital e ex-presidente do clube, Alexandre Kalil, encaminhar o projeto de lei para votação dos vereadores. Desde novembro de 2017, o pedido para criação de uma ‘Comissão Especial de Estudo’, grupo que fiscalizaria e acompanharia a proposta de construção da arena, entrou várias vezes na pauta da Casa, sem, no entanto, ser votado.

No pleito ocorrido no Conselho Deliberativo, 389 conselheiros tiveram direito a participar da votação. Foram 325 votos a favor e apenas 12 contra. A maioria esmagadora concordou com a proposta da venda de 50,1% do Diamond Mall para a Multiplan por R$ 250 milhões – a serem investidos na construção da arena, orçada em R$ 410 milhões. O restante será pago por investidores (R$ 60 milhões pelos naming rights adquiridos pela MRV e R$ 100 milhões de cadeiras cativas – 60% dessa quantia já está garantida por negociação com o BMG). O terreno, avaliado em R$ 50 milhões, foi doado por Rubens Menin, dono da construtora.

O projeto propõe a construção de um estádio multiuso com capacidade para 41.800 torcedores em arquibancadas divididas em 12 setores – dois deles destinados à antiga ‘geral’, a preços populares. Além dos jogos de futebol, a ideia é receber também outros eventos, como shows, festivais e feiras, com objetivo de ajudar a viabilizar economicamente a arena. O tempo previsto para a obra é de 28 a 30 meses, com prazo de conclusão estipulado no fim de 2020.

Expectativa da MRV

Quando assinou a renovação do contrato de patrocínio com o Atlético, Rafael Menin, filho do presidente da MRV, Rubens Menin, publicou em seu Twitter uma mensagem que deixou os atleticanos animados. “Em breve o torcedor terá boas notícias sobre a Arena MRV. Muita coisa foi feita nos últimos 60 dias e daqui a poucos meses as máquinas começarão os trabalhos”, escreveu.

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Trânsito será alterado no centro para desfile do Chama o Síndico; veja

Polícia Civil prende traficantes que executaram comparsa