Reta final nas costuras da folia

Na máquina de 50 anos dada pela avó, Pablo Cassiano, 29, dá os retoques finais nas saias e blusas que vendeu para as clientes que vão aproveitar o bloco Então Brilha. Ele é um dos artesãos que ainda correm contra o relógio para terminar as fantasias a tempo da folia. “Eu tive 15 encomendas, fiquei sete dias produzindo e teve dia que eu costurei até as 3h”, revelou. Em paralelo ao trabalho, o jovem se dedica a terminar as suas próprias fantasias. Neste ano, a aposta é o adorno de “Plablito” – brincadeira com o picolé e o próprio nome: “O objetivo é levar alegria para a galera. Os ingredientes do Pablito são: chocolate ao leite, amor, amor e mais amor”.

Já a dupla Nair Rodrigues da Silva, 56, e Solange Freitas Campos, 52, se dedicam a terminar as mil criações das famosas tiaras usados na folia: “Estou trabalhando bastante, alguns dias eu fico oito horas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polícia Civil apresenta três suspeitos de matar cabo em Betim

Ministro garante verba para o metrô