Doenças se proliferam pela falta de educação em Capinópolis

CAPINÓPOLIS, MINAS GERAIS – Há alguns anos, Capinópolis enfrentou uma das maiores epidemias de dengue de sua história, mas algumas pessoas parecem ter esquecido dos riscos da dengue, chikungunya e da febre amarela. Na estrada rural que liga a zona urbana às ‘Chácaras do Neguta”, toneladas de lixo estão sendo depositadas irregularmente todos os meses. O local fica aos fundos da Companhia de Armazéns e Silos do Estado de Minas Gerais (Casemg).

 Além de material orgânico, o lixão clandestino também recebem garrafas plásticas, metal, restos de sofás, vasos sanitários e armários, além de entulhos de construção como tijolos e vidro.

Recentemente, a prefeitura chegou a instalar uma caçamba no local para que o lixo fosse depositado no recipiente, mesmo assim, muitos jogavam lixo e animais mortos às margens da estrada e ao lado da caçamba.

Além de doenças, o lixo atrai roedores e insetos, que chegam a invadir casas na parte superior do Residencial Portal dos Ipês, que fica próximo à estrada rural.

A prefeitura de Capinópolis efetuou a limpeza da área na tarde da última quinta-feira (08). Nesta sexta-feira (9), o Tudo Em Dia foi até o local e já havia lixo depositado.

Segundo o secretário de obras do município, Gilson Zanotto, o descarte irregular de lixo é prejudicial ao meio ambiente, além de gerar custos aos cofres públicos. “O lixo depositado no local é prejudicial ao meio ambiente, prolifera doenças e gera custos aos cofres do município, já que o maquinário se desloca até a área para efetuar a limpeza. Iremos fixar uma placa no local proibindo o depósito de lixo e esperamos a compreensão da população”, pontuou Gilson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moro autoriza transferência de irmão de Dirceu para presídio em Curitiba

Mano Menezes indica novas mudanças no Cruzeiro na véspera de jogo contra o Democrata