Cruzeiro vence Democrata com gol de estreante e mantém liderança isolada do Mineiro

Raposa chegou a 16 pontos na competição, três a mais que vice-líder América – Foto: Cruzeiro

O Cruzeiro não fez uma apresentação brilhante em Governador Valadares e em diversos momentos do confronto foi ameaçado pelo Democrata, mas garantiu a vitória por 2 a 0 na noite desta sexta-feira e se manteve líder isolado do Campeonato Mineiro, agora com 16 pontos em seis rodadas – três a mais que o segundo colocado América. Os protagonistas do triunfo celeste no estádio José Mammoud Abbas foram o lateral-esquerdo Marcelo Hermes e o meia Mancuello, autores dos gols, e o goleiro Fábio, responsável por grandes defesas ao longo da partida.

Reserva de Egídio nos cinco primeiros jogos do ano, Hermes ganhou a primeira chance na equipe e marcou belíssimo gol em lance individual. Ele passou por três adversários e chutou com precisão de pé esquerdo no ângulo direito de Ramon. O tento do argentino Mancuello também foi bonito, em finalização de canhota pouco antes da meia-lua.

Embora ainda faltem cinco rodadas para o término da etapa classificatória, o Cruzeiro, ao alcançar 16 pontos, já está garantido nas quartas de final do Estadual. No cenário de momento, o adversário seria o Tupi, atual oitavo colocado, com oito pontos. Os confrontos da segunda fase do Mineiro serão realizados em partida única, com os detentores das quatro melhores campanhas tendo a vantagem de jogar em casa. Em caso de empate, a vaga será definida nos pênaltis.

No próximo sábado, às 16h30, o Cruzeiro voltará a campo pelo Campeonato Mineiro diante do Villa Nova, no Mineirão. Os ingressos dessa partida já estão à venda para os sócios do futebol (clique aqui e veja os detalhes). O Democrata, que agora é o lanterna da competição, com quatro pontos, visitará o Tombense no mesmo dia, às 16h, no estádio Antônio Guimarães de Almeida, em Tombos.

O jogo

Mano Menezes mudou peças no Cruzeiro. Além de promover a estreia do lateral-esquerdo Marcelo Hermes, o técnico escalou Manoel no lugar de Murilo, na zaga, e Mancuello na vaga de Ariel Cabral, no meio-campo. A ideia, porém, era a mesma: manter o controle da posse de bola e ser predominante no campo de ataque. Mais qualificada tecnicamente, a Raposa também tinha a seu favor o apoio da torcida no Mamudão. Grande parte dos mais de 6 mil pagantes era formada por cruzeirenses.
Mas foi o Democrata quem assustou primeiro, logo aos 3min. Numa jogada que começou lá atrás, em tiro de meta cobrado pelo goleiro Ramon, o meia Fernando ajeitou no peito e deu belo toque, como se estivesse praticando futebol de areia, em direção a Leandro. Atento, Fábio saiu para o abafa e conseguiu efetuar a defesa.
O Cruzeiro, superior na posse de bola durante toda a etapa inicial (58% a 42%), respondeu aos 10min. Edilson deu passe na medida para Fred, que, pressionado por Carlão, chutou por cima. Já aos 14min, o Democrata atacou novamente, em batida de longe de Fernando. Fábio espalmou para o lado.
Aos 15min, o Cruzeiro abriu o placar num bonito gol do meia Mancuello, que disputou a primeira partida como titular. Depois de bola mal afastada pela defesa do Democrata, o camisa 21 soltou a bomba de antes da meia-lua e acertou o canto direito de Ramon. A redonda ainda desviou no meio do caminho antes de entrar: 1 a 0.
No ritmo “lá e cá”, a Pantera criou ótima chance para empatar, aos 23min: Marcinho Gomes recebeu passe quase na pequena área e finalizou no contrapé de Fábio, que mesmo assim conseguiu defender. Já aos 32min, Robinho foi acionado por Rafinha e concluiu fraco, mas proporcionou apuros ao goleiro Ramon.
Apesar de ter o controle da posse de bola, o Cruzeiro não demonstrou tamanha superioridade sobre o Democrata. Na verdade, o time da capital cedeu espaços ao adversário no meio-campo, pois nesse setor somente Henrique possuía características de contenção. E foi por ali que a Pantera quase igualou o placar, aos 7min, com o meia Kayo Dias. Ele conduziu a bola na intermediária, driblou Leo e bateu no canto. Fábio se esticou e espalmou. Aos 15min, Carlão recebeu cruzamento de Fernando e cabeceou à queima-roupa para mais uma grande intervenção do camisa 1 cruzeirense. Nesse lance, Fred puxou a camisa de Jefão, porém a arbitragem não esteve atenta à infração.
Sem conseguir ser tão envolvente na etapa final, o Cruzeiro reclamou a marcação de uma penalidade máxima, aos 25min. Ao tentar cruzar para a área, Ariel Cabral – que entrou no lugar de Mancuello – chutou a bola no braço de Jefão, porém o árbitro Antônio Márcio Teixeira da Silva marcou apenas escanteio. Depois, alguns lançamentos malsucedidos direcionados a Fred foram facilmente anulados pela defesa do Democrata.
Eis que o estreante Marcelo Hermes, que não havia aparecido com tanta frequência no ataque, protagonizou uma bela jogada individual aos 32min: passou por Marcelo Rosa e Jefão e chutou de pé esquerdo no ângulo de Ramon: 2 a 0. O gol aliviou a situação do Cruzeiro na partida, já que o Democrata estava vivo no duelo e havia exigido ao menos quatro defesas difíceis de Fábio. Nesse embalo, a Raposa chegou perto de balançar a rede pela terceira vez, após tabela de Fred com Robinho e chute da entrada da área de Rafinha. A bola passou raspando a trave direita de Ramon. Nos acréscimos, o capitão Henrique, que completou 411 jogos pelo clube, experimentou de longa distância e ficou apenas no quase.
Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Defesa Civil emite alerta de chuva para BH neste sábado (10)

Atlético recebe a Caldense em primeiro jogo sem Oswaldo