Homem que agrediu, estuprou e fez jovem refém por 4h é morto por PM

Um homem que estuprou, agrediu e fez refém uma mulher em um matagal foi morto por um policial militar na madrugada desta sexta-feira (16) em São João do Paraíso, no Norte de Minas Gerais. De acordo com a Polícia Militar (PM), a vítima,  de 24 anos, foi abordada por dois homens na comunidade de São Tiago, onde estava em uma motocicleta. Ela foi obrigada a pilotar a motocicleta até um matagal onde foi agredida e estuprada.  A vítima ficou quatro horas refém de um dos criminosos.

Segundo a polícia, a suspeita é que os homens queriam roubar o veículo, mas um deles acabou fazendo a mulher de refém e a levando para um matagal.  A jovem foi abordada por volta de 22h, da quinta-feira (15), e obrigada a pilotar a moto com um dos suspeitos na garupa, até um matagal. Em determinado momento o veículo tombou, os dois caíram e a mulher foi arrastada, agredida e estuprada. Mesmo em choque, a jovem conseguiu contar aos militares que foi estuprada várias vezes pelo criminoso e com muita violência. 

O crime só foi descoberto, porque um morador da cidade viu a movimentação estranha na mata, por volta de meia-noite, já de sexta-feira e acionou a PM. A família dela já tinha dado a menina como desaparecida, já que ela não chegou em casa no horário previsto. A polícia começou então fazer buscas por ela e fez um cerco na mata.

O suspeito, Evanildo Dias de Sousa, de 23 anos, foi encontrado com a vítima, por volta de 2h da madrugada, de sexta-feira. O homem estava com uma espingarda na cabeça da mulher. Os policiais tentaram negociar para que ele a soltasse. Ela, segundo os militares, já estava bastante machucada. Sem sucesso na negociação, um sargento da Polícia Militar, que estava de folga, mas ajudava nas buscas, por ser amigo da família da vítima acabou matando o suspeito com três tiros.

A jovem foi encaminhada para um hospital de São José do Paraíso, mas como estava muito machucada e precisava passar por exames para constatar o estupro, ela foi levada para um hospital de Taiobeiras.

PM diz que foi legítima defesa

De acordo com a Polícia Militar de São João do Paraíso, o sargento agiu em legítima defesa já que o suspeito ameaçava matar a mulher com uma arma na cabeça dela. O sargento será encaminhado a uma autoridade policial e um procedimento interno será aberto para investigar o caso.

A ocorrência foi encerrada na Polícia Civil de São João do Paraíso, que vai investigar o caso. A arma usada no crime foi apreendida. . A motocicleta da vítima ficou jogada em um matagal.  O outro suspeito de ter abordado a mulher ainda não foi encontrado. O corpo do suspeito foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Taioberas. 

A cidade onde ocorreu o crime tem cerca de 23 mil habitantes e o estupro deixou os moradores muito assustados, segundo militares. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mano Menezes confirma Mancuello em função mais ofensiva no meio-campo

Temer diz que governo dará respostas duras e firmes ao crime organizado no Rio