Jogadores do Atlético elogiam auxiliar Thiago Larghi, e Elias mostra confiança: ‘Quem sabe a gente não tenha um novo Carille?’

Elias sugere que o auxiliar Thiago Larghi seja efetivado e comande o Atlético na sequência de 2018 Fonte: Edésio Ferreira/E.M/D.A.Press

Com dificuldades na busca por um substituto para Oswaldo de Oliveira, o Atlético conta com o auxiliar Thiago Larghi para o comando dos treinos do time durante a semana. A possibilidade de efetivação do comandante interino, inclusive, é cogitada pelos jogadores. Ao menos foi isso o que Elias comentou na tarde desta quinta-feira, em entrevista coletivas na Cidade do Galo.

Questionado sobre a busca do Atlético por um novo comandante, o experiente meio-campista defendeu a sequência de trabalho do próximo treinador. Elias cogitou, inclusive, a permanência de Thiago Larghi, remanescente da comissão técnica de Oswaldo de Oliveira. Para isso, o jogador fez referência à trajetória de Fábio Carille no Corinthians.

“Quem sabe a gente não tenha um novo (Fábio) Carille aqui? Que o Thiago possa ser efetivado, faça uma excelente campanha e a gente ser campeão brasileiro. Coisas que muitos jogadores, torcedores e a imprensa não acreditavam na equipe do Carille. E ele conseguiu. Passei por uma situação assim no Flamengo em que tive três treinadores no ano. No final, quem levantou o caneco foi o Jayme (de Almeida, campeão da Copa do Brasil em 2013)”, disse Elias.

Fábio Carille assumiu o time do Corinthians interinamente em 2016. Então auxiliar técnico de Oswaldo de Oliveira – que deixou o Atlético na última sexta-feira -, o agora treinador se tornou oficialmente o cargo no início da temporada 2017. E a aposta da diretoria paulista virou realidade: o comandante superou desconfianças para conquistar o Campeonato Paulista e o Brasileirão logo no ano de estreia.

Assim como Elias, Róger Guedes também comentou a possibilidade de efetivação de Thiago Larghi como treinador. O atacante foi cauteloso e atribuiu a função de escolha do comandante à diretoria, mas elogiou o trabalho do auxiliar de 37 anos.

“Poucos dias dele no comando como treinador. A gente gosta muito do trabalho dele. No treinamento de ontem (quarta-feira), ele variou bastante durante a atividade. A gente está gostando bastante do trabalho do Thiago. Isso aí de deixar ele como treinador tem que ser com a direção. A gente não manda nada nisso”, disse o jovem jogador.

Thiago Larghi tem a mesma idade de Ricardo Oliveira e é um ano mais novo que Leonardo Silva. Apesar de jovem, tem um extenso currículo como analista de desempenho e, posteriormente, auxiliar técnico. Passou por Botafogo, Corinthians, Sport e Seleção Brasileira. Além disso, fez cursos da CBF e da UEFA.

Discussões internas

A possibilidade de dar mais tempo de trabalho para Thiago Larghi existe e é comentada entre integrantes da diretoria do Atlético. Em contato com o Superesportes, o vice-presidente Lásaro Cândido da Cunha espera que a diretoria tenha paciência na busca por um treinador e demonstre confiança no auxiliar.

“Torço para isso (para que Thiago Larghi tenha uma chance de comandar o time em alguns jogos até a contratação de um treinador), mas a decisão é do presidente. Tem vários aspectos a serem analisados. Numa equipe de profissionais super respeitados e competentes que temos, o Thiago é um desses. Não existe pressa (na busca por um novo comandante)”, disse o dirigente em entrevista à reportagem.

Próximo desafio

Inicialmente, a intenção do Atlético era que o novo treinador estreasse já neste domingo, contra o América. A tendência, entretanto, é que Thiago Larghi, que já comandou o time na derrota por 2 a 1 para a Caldense, seja mantido para o duelo no Independência, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro.

“Quando se está desacreditado, vencer um clássico dá moral para a sequência do trabalho. É aí que até podem surgir novos treinadores, como é o caso do Thiago (Larghi) agora. Acho que é um rapaz que está aí e que, com certeza, quer nos ajudar. E a gente quer ajudar ele. Vencer esse clássico dá bastante moral para, quem sabe, ele possa permanecer aqui até que a nossa diretoria encontre alguém capaz de nos dirigir”, disse Elias.

O Atlético trabalha no mercado em busca de um treinador. Os três nomes mais falados desde a saída de Oswaldo de Oliveira foram os de Abel Braga (Fluminense), Cuca (sem clube) e Fábio Carille (Corinthians). Nenhuma negociação avançou.

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Garota de 16 anos baleada pelo irmão é enterrada em Divinópolis

Homem morre com suspeita de febre amarela em Brazópolis