Em meio a polêmica, América e Atlético fazem clássico de opostos no Independência

O técnico Enderson Moreira e o auxiliar Thiago Larghi protagonizam duelo de opostos neste domingo Fonte: Mourão Panda/América e Bruno Cantini/Atlético

O clássico deste domingo opõe duas equipes que passam por momentos bem distintos. Em ‘lua de mel’ com a torcida desde a Série B de 2017, o América faz campanha consistente no Campeonato Mineiro. O visitante Atlético, por sua vez, tenta deixar para trás as turbulências deste início de temporada para, quem sabe, recuperar a confiança perdida. O duelo de opostos está marcado para 17h, no Independência, pela sétima rodada do Estadual.

Com 13 pontos conquistados, o segundo colocado América tenta evitar o distanciamento do líder Cruzeiro. Para isso, a equipe precisará lidar com duas questões importantes. A primeira diz respeito ao time propriamente dito: João Ricardo é desfalque certo para o clássico. O goleiro segue tratamento de um incômodo muscular e será substituído, mais uma vez, por Glauco. Apesar de a comissão técnica ter fechado um dos treinamentos, a tendência é que a formação que tem sido utilizada ganhe sequência.

A segunda das questões, por sua vez, agitou os bastidores do clube e também do arquirrival Atlético. Durante a semana, o presidente alvinegro, Sérgio Sette Câmara, ligou para o mandatário do América, Marcus Salum, com a intenção de ‘alertá-lo’ para uma situação que envolveu Enderson Moreira.

Na versão do Atlético – que, na verdade, foi confirmada por Salum -, o  treinador havia sido sugerido pelo empresário Francis Melo como opção para substituir Oswaldo de Oliveira, demitido no último dia 9. Depois de negar seguidamente, o agente admitiu que conversou com o diretor de futebol alvinegro, Alexandre Gallo, sobre uma eventual negociação.

As tratativas não avançaram, e a situação ganhou contornos polêmicos – especialmente por ter ocorrido justamente na semana do clássico entre as duas equipes. Esse foi o principal tema da entrevista coletiva de Enderson, que comentou o caso.

“Tenho muito orgulho da minha carreira, mas muito me espanta que meu representante tenha me oferecido. Já conversei com ele e não acho que a coisa aconteceu dessa forma. Em determinado momento, o meu representante me mostrou alguma coisa que tinha acontecido, mas nunca foi uma coisa, para mim, oficial, que eu possa levar em consideração”, disse o treinador.

Enderson Moreira garantiu que está completamente focado no duelo do América contra o Atlético. O treinador, que ocupa o cargo desde julho de 2016, enfrentará um rival em crise e sob o comando de um jovem profissional. O auxiliar Thiago Larghi, de 37 anos, será o responsável por dirigir o time alvinegro neste domingo.

Atlético contra as turbulências

Se para o América tudo vai bem dentro de campo, a situação do Atlético é justamente oposta. São sete jogos na temporada, com duas vitórias, três empates e duas derrotas. A demissão de Oswaldo de Oliveira expôs os problemas de rendimento do time e, é claro, a dificuldade da diretoria para encontrar um substituto.

Abel Braga, Cuca e Fábio Carille estiveram em pauta, mas as negociações não avançaram. A hora, agora, é de dar confiança a Thiago Larghi. A depender dos resultados, o auxiliar pode, inclusive, deixar a interinidade para assumir de vez o comando técnico do Atlético.

“Meu momento é de estar técnico, não de ser o técnico. É um trabalho ainda como auxiliar. O que foi pedido foi para comandar este jogo. Meu foco é estritamente no próximo, domingo. Acredito que existe um certo de favoritismo deles (do América), sim, por conta da preparação como um todo. Mas o Atlético, como o grande clube que é, enorme, pela torcida maravilhosa, tem tudo para, em pouco tempo, reverter qualquer situação”, disse Thiago Larghi.

O auxiliar, que já comandou o time na derrota por 2 a 1 para a Caldense, optou pelo mistério na preparação do time para o clássico. A imprensa teve acesso apenas aos momentos de aquecimento dos jogadores durante os treinamentos desta semana. Por isso, a escalação é uma incógnita.

A tendência é que Samuel Xavier, Leonardo Silva e Arouca, que não atuaram na última partida, voltem ao time titular. Róger Guedes também deve ganhar a disputa com Cazares e formar o quarteto ofensivo ao lado de Erik, Otero e Ricardo Oliveira. A formação, entretanto, só será confirmada momentos antes do jogo.

AMÉRICA X ATLÉTICO

AMÉRICA

Glauco; Norberto, Messias, Rafael Lima e Giovanni; Zé Ricardo e Juninho; Aylon, Serginho e Luan; Rafael Moura

Técnico: Enderson Moreira

ATLÉTICO

Victor; Samuel Xavier, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Arouca e Elias; Róger Guedes (Cazares), Otero e Erik; Ricardo Oliveira

Técnico: Thiago Larghi

Motivo: 7ª rodada do Campeonato Mineiro

Estádio: Independência, em Belo Horizonte

Data e horário: domingo, 18 de fevereiro, às 17h

Árbitro: Igor Júnio Benevenuto (CBF)

Assistentes: Guilherme Dias Camilo (FIFA) e Ricardo Júnio de Souza (CBF)

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Fã pede namorada em casamento vestido de ‘Pantera Negra’; Veja o vídeo!

Temer anuncia criação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública