Em jogo com polêmicas e brilho de argentino, Atlético goleia o América e ameniza crise

Lance com polêmica de arbitragem definiu o resultado do clássico entre América e Atlético, no Horto Fonte:Alexandre Guzanshe/E.M/D.A.Press

Goleada para amenizar a crise. Em jogo com polêmicas de arbitragem e atuação de gala do estreante Tomás Andrade, o Atlético contou com gols nas retas finais dos dois tempos para vencer o América por 3 a 0, no Independência, em Belo Horizonte. Róger Guedes, Norberto (contra) e Ricardo Oliveira marcaram no triunfo alvinegro em partida disputada neste domingo, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro.

O primeiro tempo foi equilibrado. O América começou melhor, mas perdeu o domínio do jogo na segunda metade da etapa inicial. Após linha de passe de cabeça, Róger Guedes completou para o gol – ao menos segundo a interpretação da arbitragem – e abriu o placar para o Atlético.

O segundo tempo reservou outra polêmica de arbitragem. Atrás da linha do gol, Gabriel tentou afastar a bola após cabeceio de Marquinhos. Entrou ou não? A resposta da arbitragem foi negativa – para mais reclamações dos jogadores do América. Apesar de ter menor posse, foi o Atlético que teve mais oportunidades. O time alvinegro contou com o brilho do estreante Tomás Andrade. O argentino entrou aos 38’ e criou as jogadas dos dois últimos gols.

A vitória faz o Atlético chegar à terceira posição, com 11 pontos – dois a menos que o vice-líder América. A equipe alvinegra volta a campo nesta quarta-feira, às 21h45, para uma decisão. O rival será o Botafogo-PB, no Almeidão, pela segunda fase da Copa do Brasil. O vencedor avança. O empate, por sua vez, leva a definição para os pênaltis. O próximo adversário pelo Campeonato Mineiro é o Tupi, em jogo marcado para este domingo, às 17h, em Juiz de Fora.

Enderson Moreira terá mais dias para treinar os atletas do que o auxiliar Thiago Larghi, que comanda interinamente o time alvinegro. O próximo compromisso do América será nesta sexta-feira, às 20h30, pelo Estadual. O adversário é o Tombense, fora de casa.

Primeiro tempo com polêmica

As duas equipes iniciaram a partida com a intenção de propor o jogo. Entretanto, foi o América que apresentou maior intensidade nos avanços ao ataque. O time mandante levou certo perigo – especialmente nas bolas aéreas -, mas não conseguiu incomodar diretamente o goleiro Victor.

O Atlético, por sua vez, armava linhas mais recuadas no momento defensivo. Quando tinham a bola, os jogadores alvinegros precisavam superar a marcação adiantada do América. Tanto é que, já nos primeiros minutos, Leonardo Silva rifou duas bolas seguidas.

As forças se equilibraram aos poucos. Luan, de falta, finalizou por cima. A melhor chance da metade inicial do primeiro tempo foi do Atlético, aos 23’. Já dentro da área, Erik recebeu belo passe, fintou Aylon, mas chutou mal. Róger Guedes, dez minutos depois, fez boa jogada pela direita, mas finalizou em cima de Glauco – para reclamações de Ricardo Oliveira, que pedia livre no meio da área.

O volume de jogo de Atlético aumentou na reta final do primeiro tempo. Erik, de fora da área, e Gabriel, pelo alto, chegaram com perigo, mas não conseguiram abrir o placar. Já aos 45’, Otero cobrou escanteio pela direita. Leonardo Silva e Ricardo Oliveira desviaram antes de Róger Guedes cabecear para o gol – ou seria para grande defesa de Glauco?

O lance gerou polêmica. O auxiliar Guilherme Dias Camilo (FIFA) sinalizou que a bola ultrapassou completamente a linha. Os jogadores do América não concordaram e, por isso, reclamaram com a arbitragem. Por um ângulo mostrado na transmissão do canal Premiere, a bola não entrou.

Mais polêmica e gols no fim

Enderson Moreira fez duas alterações logo no intervalo: saíram Serginho e Luan para as entradas de Marquinhos e Carlinhos. Em um time com dois laterais-esquerdos de ofício, Giovanni atuou mais avançado. E foi dele a primeira finalização do segundo tempo. De fora da área, chutou para o alto, sem perigo.

A dupla que entrou protagonizou o segundo lance polêmico no clássico. Carlinhos roubou a bola no campo de ataque e tocou para Rafael Moura na esquerda. O centroavante cruzou para o estreante Marquinhos, que finalizou. Victor defendeu, mas a bola continuou em direção ao gol. Gabriel cabeceou para tentar tirar. Mas a bola entrou ou não? A resposta, para a arbitragem, foi negativa – para reclamação dos jogadores do América. Segundo imagem mostrada na transmissão do Premiere, a bola entrou.

O jogo ficou mais tenso. O América tentou manter o ímpeto do início do segundo tempo, mas foi o Atlético que criou as melhores oportunidades. Adilson e Otero (duas vezes) levaram perigo ao gol de Glauco em finalizações de fora da área.

Na reta final da partida, o América insistia, mas tinha dificuldades para vencer o bloqueio do Atlético. A equipe alvinegra ‘cozinhava’ o jogo para manter a vantagem. Aos 37’, o auxiliar Thiago Larghi promoveu a estreia de Tomás Andrade. O argentino entrou no lugar de Otero. A última participação do venezuelano na partida foi para receber um cartão amarelo ao tentar cavar um pênalti.

Já aos 41’, Tomás Andrade fez belo passe para Róger Guedes. O atacante invadiu a área e finalizou cruzado. Na tentativa de tirar a bola, o lateral-direito Norberto empurrou para as redes. Sem polêmicas desta vez: 2 a 0. Pouco tempo depois, o meia argentino voltou a ser decisivo. Fez jogada pelo lado esquerdo e cruzou para Ricardo Oliveira concluir: 3 a 0. Vitória com sensação de alívio para o Atlético. Derrota com indignação para o América.

AMÉRICA 0 X 3 ATLÉTICO

AMÉRICA

Glauco; Norberto, Messias, Rafael Lima e Giovanni; Zé Ricardo e Juninho; Aylon (Renan Oliveira, aos 35 minutos do segundo tempo), Serginho (Marquinhos, no intervalo) e Luan (Carlinhos, no intervalo); Rafael Moura

Técnico: Enderson Moreira

ATLÉTICO

Victor; Patric; Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson e Elias; Róger Guedes, Otero (Tomás Andrade, aos 38 minutos do segundo tempo) e Erik (Cazares, aos 42 minutos do segundo tempo); Ricardo Oliveira

Técnico: Thiago Larghi

Gols: Róger Guedes, aos 45 minutos do primeiro tempo; Norberto (contra), aos 40, e Ricardo Oliveira, aos 45 minutos do segundo tempo (ATL)

Cartões amarelos: Gabriel, aos 18 minutos do primeiro tempo; Otero, aos 37 minutos do segundo tempo (ATL); Rafael Lima, aos 4, Aylon, aos 8, e Renan Oliveira, aos 39 minutos do segundo tempo (AME)

Motivo: 7ª rodada do Campeonato Mineiro

Estádio: Independência, em Belo Horizonte

Data e horário: domingo, 18 de fevereiro, às 17h

Árbitro: Igor Júnio Benevenuto (CBF)

Assistentes: Guilherme Dias Camilo (FIFA) e Ricardo Júnio de Souza (CBF)

Público: 8.923 torcedores

Renda: R$ 167.780,00

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Motociclista foge de abordagem da PM, garupa cai e morre em BH

Câmara vota nesta segunda decreto da intervenção federal no Rio