‘Motivação é mesquinha’, mas general ‘deve ter o apoio de todos nós’, diz Ciro Gomes

Ciro Gomes escreveu no Facebook que a intervenção federal no Rio é uma “aposta irresponsável” para “retirar da absoluta ilegitimidade” um “governo caracterizado por uma agenda anti-povo, anti-nacional e pela metástase da corrupção generalizada”.

“Ninguém duvide: a motivação é mesquinha e politiqueira. Biombo para o fracasso político da malfadada reforma da Previdência que de reforma nada tem.”

Mas, segundo o pré-candidato à presidência pelo PDT, o decreto “corresponde a uma súplica generalizada da sociedade brasileira que anda com medo (…) da crescente audácia de facções criminosas organizadas e empoderadas por anos de conivência e omissões de governos dos principais estados brasileiros”.

“O general a quem se atribuiu a penosa tarefa, Walter Braga Neto, é o que há de melhor em nossas Forças Armadas. Sério, competente e com elevado espírito público, deve ter o apoio de todos nós. Mas deve saber, com clareza, que, sem os meios corretos, sem inovações institucionais profundas, sem uma convergência com um Ministério Público e um Poder Judiciário muito diferentes do que temos, por média, sua tarefa corre muitos riscos.

(…) Torço muito que possa dar certo, mas duvido muito!”

As informações são do site O Antagonista

Pancadas de chuva, típicas de verão, são esperadas nesta 2ª, na RMBH

Secretaria de Educação se reúne com rede de ensino para início do ano letivo em Capinópolis