Desafio da folia em BH é manter alto nível de satisfação

Além do público recorde de 3,8 milhões de pessoas, 26% a mais do que no ano passado, o Carnaval de Belo Horizonte foi mais bem avaliado em 2018: a festa recebeu nota 8,3 dos belo-horizontinos e agradou ainda mais aos turistas, que deram 8,6 à folia – 89% deles querem voltar. No ano passado, as notas foram 8,1 e 8,3, respectivamente.

Os números são resultado de uma pesquisa realizada com 1.600 foliões e foram apresentados nesta segunda-feira (19) pela prefeitura, que afirmou que o maior desafio para o próximo ano será superar a satisfação do público. Entre os avanços destacados pela prefeitura, está a ampliação dos atendimentos de saúde, com dois postos criados especialmente para a folia.

No quesito trânsito, a prefeitura considerou a operação “bem-sucedida”, apesar de engarrafamentos e de alguns coletivos terem errado o itinerário. Sobre os 14 mil banheiros químicos, considerados insuficientes pelos foliões, o prefeito Alexandre Kalil (PHS) disse que “30 mil serão pouco para o próximo Carnaval”.

A limpeza também foi considerada satisfatória, com instalação de 800 contêineres por dia pela Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), e limpeza das ruas antes, durante e depois dos desfiles. Para 2019, a intenção é colocar garis com carrinhos de mão no meio dos blocos.

A folia de BH foi considerada a segunda maior do país e “vai passar para o primeiro Carnaval do Brasil em 2019”, disse Kalil. A festa gerou receita de R$ 641 milhões na cidade.

Lei Seca

Fiscalização. A PM realizou 58 operações da Lei Seca em BH. Foram abordados 1.987 veículos. Nove motoristas foram presos e 45 tiveram a CNH recolhida e foram multados.

 

Cidade Jardim questiona resultado de concurso

A diretoria da Escola de Samba Cidade Jardim divulgou, na segunda-feira, uma carta aberta direcionada ao prefeito da capital, Alexandre Kalil, na qual contesta o resultado do concurso que entregou, na última sexta-feira, o título de campeã à Escola de Samba Canto da Alvorada. Segundo o texto, “todo o processo apresentou sinais claros de manipulação”.

Em nota, a Belotur informou que não foi notificada formalmente e que o júri é contratado por uma empresa licitada, e todos os jurados têm “total autonomia para a avaliação do desempenho das agremiações”. A Belotur afirmou, ainda, que “é de seu total interesse que quaisquer dúvidas sejam esclarecidas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Terror ‘Um Lugar Silencioso’ faz parte da franquia ‘Cloverfield’?

Idosa comete injúria racial e rechaça fisioterapeuta negro em BH