Líderes do elenco elogiam Thiago Larghi, que despista sobre efetivação no Atlético

O auxiliar Thiago Larghi foi elogiado pelos jogadores do Atlético após a goleada sobre o Botafogo-PB Fonte: Bruno Cantini/Atlético

Dia após dia, a eventual efetivação de Thiago Larghi é cada vez mais vista com bons olhos pela diretoria do Atlético. O auxiliar, que comanda interinamente a equipe desde a demissão de Oswaldo de Oliveira (em 9 de fevereiro), tem recebido elogios pelo trabalho. E os aplausos não vêm apenas de torcedores, mas também de líderes do elenco alvinegro.

A goleada por 4 a 0 sobre o Botafogo-PB, nessa quarta-feira, garantiu a classificação do Atlético para a terceira fase da Copa do Brasil. Ao comentar a vitória no Almeidão, o zagueiro Leonardo Silva citou Thiago Larghi. Em meio a elogios, pediu paciência para que as etapas não sejam ‘queimadas’.

“Isso é com o tempo, jogo a jogo. Não adianta ser uma efetivação precoce e, daqui a pouco, vocês estarem cobrando por um treinador mais experiente. Ele tem feito um grande trabalho, tem nos ajudado muito e vai nos ajudar mais ainda. Todos estão com ele, isso é o mais importante. Acreditamos no trabalho e vamos continuar para que isso aconteça com o tempo. Que o time evolua e consiga os resultados, isso é o mais importante”, disse o capitão.

Thiago Larghi estreou como comandante do Atlético no dia 11 de fevereiro, na derrota por 2 a 1 para a Caldense. Em seguida, dirigiu o time nas vitórias por 3 a 0 sobre o América e 4 a 0 sobre o Botafogo-PB.

As mudanças de estratégia em relação ao time que era comandado por Oswaldo de Oliveira são evidentes. Antes, o Atlético propunha o jogo. Nas duas últimas partidas, a equipe tem, por diversas vezes, entregado a bola para o adversário e apostado nos contra-ataques. Apesar disso, Luan vê semelhanças entre os trabalhos dos dois.

“Todo mundo está trabalhando. O time não mudou desde a filosofia do (Oswaldo de) Oliveira. Ficou ele (Thiago Larghi) e manteve o trabalho. Tirou algumas peças e encaixou. Devagarinho todo mundo está tendo espaço. Quem for melhor e estiver bem fisicamente vai jogar”, avaliou o ‘Menino Maluquinho’, ídolo da torcida alvinegra.

Os elogios para o trabalho de Thiago Larghi partem também dos recém-chegados. Apesar de ter pouco tempo de Atlético (chegou no início desta temporada), Ricardo Oliveira já é um dos líderes do elenco. O centroavante, autor de quatro gols em sete partidas em 2018, disse que a coletividade é essencial para que o time evolua e o auxiliar se torne treinador.

“O futebol é um esporte coletivo. Para as coisas darem certo dentro de campo, todo mundo tem que contribuir. Para um resultado vir, todo mundo tem que correr. Para um treinador ser tido como grande e o trabalho dele reconhecido, o trabalho dentro de campo precisa ser bem feito. Nossa parte estamos fazendo. Nos doando ao máximo pela camisa do Atlético. Hoje o nosso treinador é o Thiago, que nos pede para fazer e tentamos ao máximo fazer o que ele pede. Treinamos isso. Os resultados estão vindo. Ele tem grande mérito nisso pelo trabalho que está realizando. O time acabou se entendendo melhor dentro de campo, na forma em que precisamos jogar. Os resultados estão vindo e vindo com autoridade, com um jogo vistoso e isso é importante”, disse.

Palavras de Larghi

Desde que a diretoria alvinegra começou a cogitar a possibilidade de efetivação, Thiago Larghi tem sido ‘bombardeado’ com perguntas sobre uma eventual mudança de cargo. Várias entrevistas depois, o auxiliar mantém o mesmo discurso de que pensa apenas na próxima partida e não numa ‘promoção’.

“Isso compete à diretoria. O meu trabalho como auxiliar técnico é gerir o grupo de jogadores, que estão super empenhados em conseguir as vitórias. Graças a Deus, ao trabalho deles e ao empenho de todo mundo, eles conseguiram. Meu foco no momento é fazer a função que eu tenho que fazer”, disse.

O treinador interino chegou ao Atlético no final de setembro de 2017. Ao lado de Luiz Alberto, ele foi contratado para auxiliar Oswaldo de Oliveira. A demissão do experiente comandante fez com que boa parte da comissão também deixasse o clube – com exceção do próprio Thiago Larghi.

O auxiliar passou a ser parte da comissão técnica permanente do Atlético. Com isso, cabe a ele a responsabilidade de substituir treinadores demitidos. E, nas palavras de Larghi, esse é o foco do momento.

“O meu foco continua sendo o trabalho no momento. Eu sou grato por ser o auxiliar do clube agora no momento. Eu tenho orgulho de vestir esta camisa. Eu procuro desempenhar de melhor maneira possível essa função de auxiliar técnico e que é ser técnico interino”, disse.

A diretoria

Alguns integrantes da diretoria veem com bons olhos a possibilidade de promoção de Thiago Larghi ao cargo de treinador. Tudo depende dos resultados e do desempenho do Atlético. Em entrevista à rádio Itatiaia nesta semana, o presidente Sérgio Sette Câmara despistou, mas falou em dar oportunidade ao auxiliar.

“Acho que todo mundo tem o direito a uma oportunidade. Nós não estamos dizendo que o Thiago (Larghi) já tenha sido efetivado. Ele, na verdade, é um funcionário do clube. É um funcionário fixo, um auxiliar fixo. Está ali mesmo para cobrir eventuais saídas de treinadores”, disse, antes mesmo da goleada na Copa do Brasil.

Por enquanto, a tendência é que Thiago Larghi siga no cargo. O auxiliar comanda os próximos treinamentos da equipe e deve estar à frente do Atlético na partida deste domingo, às 17h, contra o Tupi. O jogo, em Juiz de Fora, vale pela oitava rodada do Campeonato Mineiro.

Superesportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Polícia desarticula quadrilha que cometia roubos em rodovias de Minas

Ex-secretária e amiga de prefeita afastada de Santa Luzia é presa