‘Piscinão’ do Buritis é destruído em Capinópolis após recomendação do MP

ATUALIZADO ÀS 13h55 de 27/02/2018

CAPINÓPOLIS, MINAS GERAIS – O local conhecido como ‘Piscinão’ foi destruído pela prefeitura de Capinópolis na tarde desta sexta-feira, (23) de fevereiro. O reservatório de água, construído com o objetivo de armazenar água para manter uma horta que havia no local, fica em uma área da prefeitura, entre os bairros São João e Buritis, ao lado do PSF do bairro São João.

Criada na administração do ex-prefeito Osvaldo Prado, na década de 1990, tinha objetivo de irrigar a horta municipal. Quando a horta foi desativada, o local funcionada como um ponto de lazer para algumas pessoas que residem nas imediações, principalmente nos bairros Liberdade, Novo Horizonte e Buritis.

O local é conhecido como ponto de prostituição e por ser frequentado por usuários de drogas.

Em 2015, um homem de 43 anos morreu no local. De acordo com matéria publicada pelo Tudo Em Dia à época, Vilmar Vinícius da Silva, teria almoçado e ingerido cerca de 8 doses de água ardente, seguindo ao “piscinão” para tomar banho. Há suspeitas de que o homem possa ter sofrido uma indigestão ou choque térmico quando pulou na água. A hipótese de afogamento foi descartada, já que moradores da localidade teriam tirado Vilmar da água ainda com vida, mas o homem veio a óbito instantes depois.

Segundo o secretário de obras do Município de Capinópolis, Gilson Zanotto, a destruição do ‘piscinão’ foi uma recomendação do Ministério Público, preocupado com as mazelas que ocorriam na localidade.

Ainda segundo o secretário, não há projeto para construção obras no local, já que se trata de área de preservação ambiental.

“Desde 2016 temos recebido ofícios do Ministério Público que recebeu o relatório do Conselho Tutelar e ele nos determinou a tomar ações para solucionar o problema. Corri atrás para buscar uma solução para o problema mas não achamos nenhuma viável, e também porque ali é área de preservação ambiental onde não podem ser feitas obras. Como, se ocorresse quaisquer problemas ali, o município seria responsabilizado, no caso o gestor público, nós optamos pela demolição do tanque que funcionava como piscina”, disse o prefeito, lembrando que quando ocorreu o falecimento de uma pessoa no local, a justiça determinou o seu fechamento, no entanto as pessoas arrombaram o cadeado e passaram a utilizar.

“Nesse final de semana estive duas vezes lá no Bairro Novo Horizonte conversando com as pessoas, e esclarecendo as dúvidas”, arrematou o prefeito Cleidimar Zanotto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Grupo é preso com 30 toneladas de ferro furtado em Contagem

Jacaré aparece em porta de pousada e atrai curiosos na Serra do Cipó