Médico morre com suspeita de febre amarela em Juiz de Fora

A febre amarela pode ter feito mais uma vítima em Juiz de Fora, na região da Zona da Mata. Nesse domingo (25), o médico e professor Wanderson Tassi de Paula, de 48 anos, morreu no Hospital Albert Sabin com suspeita da doença. Segundo a unidade de saúde, amostras de sangue foram encaminhados para a Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte, para verificar se a enfermidade foi o que causou o óbito.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), quatro pessoas morreram em Juiz de Fora por causa da febre amarela no período de monitoramento da doença que começou em julho de 2017 e teve o último balanço divulgado no dia 20 deste mês. Se os exames da Funed confirmarem a infecção, Wanderson Tassi de Paula será a quinta vítima na cidade no período.
Além desses quatro pacientes que vieram a óbito, outras 11 pessoas foram infectadas no município, mas já tiveram alta ou ainda estão internadas.

O médico dava aulas na Faculdade de Medicina (Fame) da Unipac de Juiz de Fora. Por causa da morte do professor, as aulas na instituição de ensino foram suspensas na manhã desta segunda-feira (26). Conforme o jornal “Tribuna de Minas”, o corpo foi enterrado no Cemitério Parque da Saudade. Ele deixou uma mulher, professora da UFJF, e três filhos.

Ainda segundo o jornal, Tassi começou a passar mal no dia 13 de fevereiro, dia em que foi internado no Albert Sabin. Ele teria sido infectado no condomínio Parque das Bromélias, no bairro Graminha, na zona sul da cidade. A reportagem de O TEMPO tentou contato, por telefone, com a Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora, mas as ligações não foram atendidas. Já a assessoria do hospital não confirmou as informações. 

Veja a nota divulgada pela Fame:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Trabalhadores devem atualizar dados para receber da ‘Massa Falida’ da Laginha; Saiba mais

Quadrilha de estelionatários de Brasília é presa pela PM de Ituiutaba e Santa Vitória