Prorrogada em 5 dias a prisão temporária de investigados na Operação Poseidon

Fonte: Sérgio Murilo/Reprodução TV Vitoriosa

Foram prorrogadas em cinco dias as prisões temporárias efetuadas recentemente em Uberlândia de empresários e ex-diretor do Departamento Municipal de Água e Esgoto DMAE, em decorrência da Operação Poseidon. A operação investiga os crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro em contratos firmados entre o DMAE e uma empresa Araguaia Engenharia, nos anos de 2009 e 2010, por conta de um grande vazamento de água em uma estação do (DMAE).

Segundo as investigações do Grupo de Atuação Especial no Combate o Crime Organizado (GAECO) há uma divergência em uma quantia aproximada no valor de R$ 12 milhões.

Os mandados de prorrogação de prisão temporária foram expedidos pelo juiz da Primeira Vara Criminal de Uberlândia, José Luiz de Moura Faleiros. Eles determinam que os empresários Daniel Vasconcelos Teodoro e João Paulo Voss, donos da Araguaia Engenharia, e o ex diretor técnico do Dmae, Manoel Calhau Neto, permaneçam presos.

A decisão atende pedido do Gaeco de Uberlândia, que investiga as supostas irregularidades em contratos administrativos firmados entre o as partes.

Esta foi a primeira etapa da Operação Poseidon, deflagrada no último dia 19 de fevereiro. Em razão de denúncias apresentadas pelo vereador Thiago Fernandes.

Ccom a determinação da justiça, Daniel Vasconcelos, João Paulo Voss e Manoel Calhau permanecerão presos no Presídio Jacy de Assis por mais 5 dias, de acordo com o prazo legal de prorrogação das prisões temporárias.

Carlos Vilela

Governo se reúne com servidores em greve do sistema prisional

Equipes de futsal infantil do Beira Rio fazem amistosos preparatórios em Ituiutaba