Viaduto na avenida Antônio Carlos passará por obras emergenciais

Pelos próximos quarenta dias, o viaduto Angola, sobre a avenida Antônio Carlos, entre os bairros Lagoinha e São Cristóvão, na região Noroeste de Belo Horizonte, passará por obras emergenciais de manutenção e será parcialmente fechado durante o dia e completamente fechado no período noturno. Segundo a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), foram identificados desgastes nos apoios do viaduto. As intervenções começaram na terça-feira (27), e a prefeitura garante que não há risco de queda.

O problema foi constatado durante uma vistoria no local. Segundo a superintendente da Sudecap, Beatriz Moraes, o problema não é comum, uma vez que o viaduto foi inaugurado em 2010, tendo pouco tempo de uso para apresentar o problema. “Tem que corrigir o prumo do viaduto e colocá-lo de volta no lugar. Esse deslocamento causa abertura das juntas que pode comprometer o viaduto em algum momento, sim, por isso temos que atuar corretivamente e rápido. Eles (as empreiteiras que fizeram a obra) entendem que a junta e o aparelho de apoio tiveram algum equívoco. O desgaste foi muito rápido”, explicou.

A superintendente afirmou, contudo, que não foi constatado erro no projeto. “O cálculo foi todo verificado, e não existe erro de cálculo no projeto. É só o aparelho de apoio que não trabalhou como era esperado. Ele é uma estrutura que a gente coloca entre a pista do viaduto e o topo do pilar. É uma junta que, nesse caso, é de aço. Serve para não atritar o concreto do tabuleiro com o concreto do topo do pilar”, explicou.

Reforma. O viaduto Angola foi construído pelo Consórcio Andrade Gutierrez/Barbosa Mello, que custeará as obras de manutenção. “Não será gasto dinheiro público. As empresas que realizaram a obra entendem que os aparelhos de apoio estão na garantia”, afirmou.

Segundo a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), as obras de manutenção provocarão alterações no trânsito, mas sem prejuízos para as linhas de transporte coletivo. Diariamente, entre 9h e 17h, o viaduto será interditado no sentido Concórdia/São Cristóvão, e liberada no sentido oposto. O desvio será feito pelo viaduto da República do Congo.

Entre 23h e 5h, o trânsito será completamente interditado. Os veículos também deverão utilizar o viaduto da República do Congo para passar de um lado ao outro da avenida Antônio Carlos.

De acordo com a gerente de ação regional Noroeste da BHTrans, Maria Inês Franco, veículos de emergências, ambulâncias e veículos de operação policial terão livre acesso nos trechos interrompidos. “A esses carros vão ser permitido o acesso devido à proximidade do Departamento de Homicídios e do hospital Odilon Behrens”, afirmou.

A reportagem procurou na terça-feira a Andrade Gutierrez e a Barbosa Mello para que elas se posicionassem sobre o problema. No entanto, até o fechamento desta edição, nenhuma das empresas havia respondido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Senhora de 73 anos alega ser maltratada pela irmã e pede ajuda

Mini laboratório de drogas é fechado pela PM em Ituiutaba