O papa Francisco decidiu neste sábado (3) incluir no calendário romano como uma data festiva o “Dia de Maria, Mãe da Igreja”.

De acordo com o decreto publicado no Vaticano, a comemoração acontecerá obrigatoriamente na primeira segunda-feira depois do Pentecostes. Neste ano, será no dia 21 de maio. A decisão de Jorge Mario Bergoglio ocorre em decorrência da “veneração alegre concedida à Mãe de Deus pela Igreja nos tempos atuais, à luz da reflexão sobre o mistério de Cristo e sua própria natureza”.

“Não poderia esquecer a figura daquela Mulher, a Virgem Maria, que é a Mãe de Cristo e, ao mesmo tempo, Mãe da Igreja”, explicou Francisco. O motivo da celebração foi descrito no Decreto “Ecclesia Mater” e consiste em favorecer o crescimento do sentido materno da Igreja nos pastores, nos religiosos e nos fiéis, como, também, da genuína piedade mariana.

Continua após a publicidade

O documento foi apresentado pelo cardeal Robert Sarah, líder da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos. Pentecostes é uma das celebrações mais importantes da Igreja Católica e celebra a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos de Jesus Cristo e sobre Maria, sua mãe. A data é celebrada 50 dias depois do domingo de Páscoa.

Agência Ansa


Comments are closed.