O que era para ser uma festa de aniversário comemorada em família, terminou em morte em Montes Claros, no Norte de Minas, na noite deste sábado (3). Um homem de 49 anos foi morto a facada pelo próprio sobrinho durante a comemoração. Segundo a Polícia Militar, o suspeito golpeou o tio por trás, ferindo o pescoço da vítima, que morreu no local. O crime tem intrigado familiares e conhecidos dos envolvidos. De acordo com fontes ouvidas pela reportagem, o suspeito estaria vingando abusos sexuais que teria sofrido na infância.

Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu na rua Pedro Narciso, na Vila Antônio Narciso. O empresário Antônio Soares Fonseca, conhecido como “Tonim sem graça” estava do lado de fora da sua residência e, ao se direcionar ao interior do imóvel, foi surpreendido pelo sobrinho, que deferiu o golpe. A Polícia Civil informou que fez buscas na casa do suspeito e em toda a região, mas até a manhã deste domingo ele não havia sido encontrado. A corporação não soube informar se o suspeito seria menor de idade.

___ O texto continua após a publicidade ___

Por telefone, uma senhora que afirmou ser da família do suspeito e pediu para não ser identificada, informou que o rapaz é menor de idade e sobrinho apenas da mulher da vítima. Ela informou que recentemente a família teve conhecimento de que Fonseca teria abusado sexualmente do menor. “Nós não sabemos quanto tempo durou, mas ele contou isso para nós. Ele falou que foi abusado e que suspeitava que o irmão também tinha sido. Não sei dar detalhes, não, mas sei que ele estava com raiva, e com razão, né? O Tonim não era mau, não, mas a gente não sabe até que ponto as pessoas podem ir, né?”, questionou.

Ainda segundo a mulher, as famílias tanto da vítima como do suspeito ainda não acreditam no ocorrido. “Nossos corações estão dilacerados. Parece mentira. No meio da nossa família um negócio desses. É uma tristeza sem fim”, afirmou.

Um homem que disse trabalhar próximo à casa da vítima confirmou ter ouvido falar do abuso, mas defendeu que vítima era uma boa pessoa. “Não dá para saber o que é verdade ou não nessa história porque a polícia precisa investigar, mas o Tonim era um homem bom demais. Eu fiquei sabendo dessa história mesmo uns dias atrás. O menino não escondeu de muita gente, não. Tava meio revoltado. Mas estranha isso de ele só falar agora, né? Diz ele que durou um tempão esses abusos”, afirmou.

Um outro homem que afirmou ser vizinho da família da vítima contou que no momento do crime algumas pessoas tentaram correr atrás do suspeito, mas não conseguiram. “Na hora foi uma gritaria danada. Parece que o rapaz e o Tonim nem discutiram. Na verdade, o Tonim nem teria visto o menino ainda. Eu cheguei na porta e vi ele correndo depois da facada. O pessoal tentou ir atrás mas não deu certo, não. Foi tenebroso, cena de terror mesmo. O Tonim era muito querido por todo mundo aqui, não merecia um fim desses, não. Agora, se ele abusou do rapaz, está errado também. Ainda assim, é uma pena essa morte”, afirmou.

Já um outro vizinho, que afirmou ser amigo da vítima, foi enfático ao dizer que Fonseca não era um abusador. “Eu coloco a minha mão no fogo. Ele não fez isso, não. Esse rapaz matou ele de graça mesmo. Devem ter discutido e virou isso aí. Mas não teve nada de abuso. Esse povo inventa demais. Está para nascer uma pessoa tão bom quanto o Tonim. Não tem condição acontecer um trem desses com ele, não. Parece mentira”, afirmou emocionado.

A Polícia Militar informou que o Samu chegou a ser acionado no momento do crime, mas a vítima não resistiu e morreu no local. A perícia técnica constatou a perfuração no pescoço da vítima e recolheu a faca utilizada no crime. Nem a Polícia Militar nem a Polícia Civil confirmam a versão dada pelas fontes ouvidas pela reportagem. A reportagem questionou à Polícia Civil se a vítima ou o suspeito teriam passagens pela polícia ou se algum boletim de ocorrência relacionado a algum atrito entre eles teria sido registrado, mas a corporação não soube informar e disse que vai investigar o caso.

A reportagem tentou contato com os familiares da vítima tanto por telefone como pelas redes sociais, mas não obteve retorno. Pelas redes sociais, familiares fizeram homenagens dizendo que a vítima era uma pessoa boa e querida por todos. “Saudades eternas você vai deixar. Um homem tão bom e querido. Vai em paz porque você já nos fez rir demais aqui embaixo”, dizia uma publicação.

“Tonim, você é demais. Parece um pesadelo. Vai em paz”, dizia outra publicação.


Comments are closed.