Fonte: Divulgação Polícia Militar de Meio Ambiente

No último dia 28 de fevereiro, terminou o período de piracema, época em que os peixes de água doce se reproduzem e a pesca fica proibida. E a Polícia Militar de Meio Ambiente já fez um balanço das prisões e apreensões que fez durante a ocasião.

Em entrevista para a equipe de reportagem da TV Vitoriosa, o Tenente Patrício afirmou que o balanço final do período é considerado “satisfatório”, já que a operação teve como foco locais críticos. Mas lembra que em alguns lugares, a pesca ainda continua proibida.

Continua após a publicidade

“A piracema só restringe um pouco mais, amplia os locais onde que a pesca é proibida. Acabado o período de piracema agora em 1º de março, em alguns locais, a pesca ainda é proibida”, disse.

O Tenente também explicou que a pesca permanece restrita nos seguintes locais: 200 metros acima e abaixo de cachoeiras e em corredeiras; a 500 metros de confluências de rios e 500 metros abaixo e 1 km acima de represas.

O militar também afirma que durante a operação, foram apreendidos diversos tipos de redes de pesca, que só podem ser utilizadas por pescadores profissionais, bem como garrafas.

E ainda de acordo com o Tenente, até mesmo pescadores amadores também precisam de uma licença para poder pescar, que pode ser solicitada pela internet.

“Essa licença se obtém pela internet, tanto pelo site do Ministério da Pesca quanto do IEF (Instituto Estadual de Florestas). Basta preencher os dados e ele (o pescador) tem essa licença, que vale por um ano”, explicou.

Informações: Lourival Santos


Comments are closed.