O desfile das escolas de samba do Carnaval 2018 de Belo Horizonte foi parar na Justiça. Isso porque a segunda colocada – Cidade Jardim – tenta barrar a premiação da campeã, Canto da Alvorada, sob alegação de descumprimento de regras para o desfile. O prêmio no valor de R$ 50 mil ficará bloqueado enquanto o caso não for decidido no mérito, ou seja, decisão final em primeira instância.

De acordo com ação, a primeira colocada não poderia desfilar em 2018 porque, segundo edital da Belotur (Empresa Municipal de Turismo), não participou do desfile do grupo especial em 2017, o que era critério da Belotur para participação neste ano. 

“…Percebe-se que a Escola de Samba Canto da Alvorada não participou do desfile do Grupo Especial daquele ano. Logo, a princípio, configura-se irregular a sua habilitação para participar do Desfile deste ano no Grupo A, haja vista a disposição expressa de tal condição no Regulamento editado pela Belotur para tal evento”, afirma o juiz Maurício Leitão Linhares, em trecho da liminar publicada na segunda-feira (5).

Continua após a publicidade

O juiz determinou que o valor da premiação seja depositado em juízo em até cinco dias após a notificação. A escola de samba Canto do Alvorada também será incluída na ação em até 72 horas e, posteriormente, poderá apresentar suas alegações.

A reportagem de O Tempo entrou em contato com a Belotur e aguarda retorno. A reportagem não conseguiu, até as 13h, falar com representantes da escola Canto do Alvorada. O desfile das escolas de samba de Belo Horizonte aconteceu no dia 13 de fevereiro, na avenida Afonso Pena. A apuração para escolha da escola campeã ocorreu no último dia 16. No total, sete escolas de samba desfilaram pelo principal grupo. 


Comments are closed.