As madrugadas continuam sendo de muitas chuvas em Belo Horizonte e região metropolitana. A Defesa Civil informou que entre 0h e 6h desta quarta-feira (7) todas as regiões da capital foram atingidas por grandes pancadas de chuva. Um muro caiu uma casa no bairro Tupi, na região Norte de BH, enquanto uma família dormia. Um cachorro foi soterrado e morreu no local. Segundo a Defesa Civil da capital, nos últimos sete dias de março, quatro regionais da cidade registraram volume de água superior à média histórica para todo o mês.

“Minha casinha quebrou toda. Foi barulhento, nós ‘se’ assustamos. O cachorro morreu. O cachorro está lá ‘morrido’”. A fala é de Arthur, de 2 anos, filho da cozinheira Carla Cristina da Rocha, 41, proprietária da casa da rua Alfeu de Carvalho onde um muro de arrimo caiu. Ela estava dormindo no quarto com Arthur e o outro filho, de 9 anos, quando ouviu os pedaços do muro rolando pelo barranco e atingindo a casa. Segundo ela, há seis meses família teme desastre.

“O muro já estava trincado e já vinha dando sinais de desabamento há algum tempo. Começou a fazer um barulho de que estava quebrando, de que alguma coisa estava descendo, e aí veio cair por completo na parede do meu quarto e quase mata meu filho. Um susto muito grande. Graças a Deus não aconteceu nada pior. O muro desabou, quebrou bastante, mas estamos vivos e a gente recupera”, afirmou.

Continua após a publicidade

O muro que desabou na residência de Carla pertence a um imóvel vizinho. A reportagem tentou falar com os proprietários mas não foi atendida. A Defesa Civil vistoriou o local e constatou que existe alto risco de desabamento do restante do muro. Foram preventivamente interditados dois quartos do imóvel. Na casa ao lado, foram interditados, a sala, a lavanderia e o quintal. “Moradores foram orientados e notificados a manter o isolamento e adotar medidas de autoproteção”, disse o órgão em nota.

Rua desaba. Uma rua cedeu devido ao grande volume de chuva, na manhã de terça-feira (6), no bairro Ribeiro de Abreu, em Belo Horizonte. O Ribeirão do Onça, que passa pelo local, inundou e metade da rua caiu. Segundo moradores da região, a rua Antônio Ribeiro de Abreu, a principal via de acesso ao bairro, ficou destruída por pelo menos 10 metros. A Defesa Civil informou que a partir do relatório técnico será desenvolvido um projeto de contenção para o local. O início das obras depende do fim do período chuvoso e a rua foi interditada temporariamente.

Na manhã desta quarta-feira (7), moradores da região informaram à reportagem que rua parece ceder mais a cada momento. Embora não seja permitido que carros e pedestres transitem pelo local, moradores continuam utilizando a beirada do asfalto para transitar no bairro. “É a principal via. A gente percebe que está afundando, né? Parece que a gente pisa e o trem vai caindo, mas não tem como, a gente precisa andar aqui”, afirmou uma moradora do bairro.

Um outro morador contou que no momento do desabamento da rua, um carro quase foi levado pela correnteza. “Estamos tão acostumados a andar nesse asfalto mole, que a gente não coloca maldade. O carro do meu amigo quase caiu. Só que a rua é importante. Não sei se dá para ficarmos sem passar”, afirmou.

Na tarde desta quinta-feira, a Defesa Civil informou que vinha recebendo informes de que alguns moradores da região estariam rompendo o isolamento da área afetada. “Existe inclusive relatos que alguns estão se arriscando a trafegar com seus veículos. O isolamento, óbvio, é realizado para preservar a integridade física dos moradores e do local afetado.  A manutenção deste isolamento pela população é fundamental para se evitar riscos de acidentes”, disse em nota.

Também por meio de nota, a prefeitura de Belo Horizonte informou, por meio da Secretaria de Obras e Infraestrutura, que a Defesa Civil e a BHtrans isolaram e sinalizaram a área. “Uma equipe de engenheiros e geólogos está realizando vistoria para indicar a melhor solução para o local. A partir do relatório técnico será desenvolvido um projeto de contenção para o local. O início das obras depende do fim do período chuvoso”, afirmou.


Comments are closed.