Dezessete radares estão ligados e prontos para começar a operar no trecho de 10 km do Anel Rodoviário, entre os bairros Califórnia, na região Oeste da capital, e Olhos D’Água, na região do Barreiro. De acordo com a Via 040, que administra o trecho, eles já estão funcionando, mas só começam a multar após ação de divulgação, que deve durar no mínimo dez dias.

Dez desses 17 radares foram instalados há três anos, em março de 2015, pela Via 040, em cumprimento das regras do contrato de concessão. No entanto, eles ficaram todo esse período em fase de aferição e homologação pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Além desses, sete aparelhos desativados, que eram operados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), voltarão a multar e passam a ser mantidos pela Via 040. Dos 17, 11 são radares estáticos, chamados de “pardal”, e seis são lombadas, aqueles que exibem para o condutor a velocidade registrada.

Continua após a publicidade

A ANTT não informou quando os radares estarão punindo os infratores. “Estamos melhorando a sinalização com a instalação de fitas refletivas”, informou a Via 040. No ano passado, a empresa pediu para devolver a concessão, mas, até que isso ocorra, é obrigada a cumprir o contrato.

Saiba mais sobre a rodovia

Demanda. Por dia, circulam cerca de 160 mil veículos em alguns trechos do Anel Rodoviário, como nas proximidades da avenida Amazonas. A via foi construída há mais de 50 anos e, desde então, não passou por obras estruturais de ampliação da capacidade.

Extensão. O Anel tem 27,5 km de extensão, vai do bairro Olhos D’Água, no Barreiro, ao Jardim Vitória, na região Nordeste. O trecho administrado pela Via O40 é considerado o mais perigoso pela declividade e alto índice de acidentes. 


Comments are closed.