A Polícia Civil afirmou, nesta quinta-feira (8), que exames periciais confirmaram que Maria Conceição Serra, de 70 anos, foi estuprada antes de ser brutalmente assassinada em Taquaraçu de Minas, na região Central. O suspeito do crime havia confessado o latrocínio – roubo seguido de morte –, mas continua negando o abuso sexual.

A idosa, moradora da zona rural da cidade, foi surpreendida, no dia 19 de fevereiro, dentro de casa por um homem de 35 anos. Segundo as investigações, o homem, que já conhecia a rotina da vítima, tinha a intenção de furtar objetos, mas ao ser reconhecido, resolveu matá-la.

“A vítima tinha acabado de sair do banho e estava de toalha quando viu o investigado no imóvel e o chamou pelo nome. Nesse momento, ele empurrou a idosa para o quarto e a estuprou. Em seguida, passou o facão no pescoço dela”, afirmou o delegado Guilherme Catão.

Continua após a publicidade

No dia do crime, o bandido foi preso perto da casa dele com o celular de Maria Conceição, que era carinhosamente conhecida na cidade como Lia da Ponte.

Durante as investigações, o delegado requereu quatro exames. Um dos resultados apontou que havia esperma do suspeito no corpo da vítima. A perícia também confirmou que o sangue encontrado no facão era da idosa.

Reincidente

O homem já havia cumprido pena por um homicídio cometido em 2003 na cidade. Ele ficou aproximadamente oito anos preso. Conforme a polícia, a vítima foi um homem, que também teria sido roubado e abusado sexualmente pelo suspeito. “Ele tem um perfil muito frio, e cometeu os dois crimes praticamente da mesma forma. Se ele não fosse preso, poderia ser autor de outros casos”, concluiu o delegado Catão.

Em conversa com a imprensa, o suspeito seguiu assumindo o latrocínio de Maria Conceição e o homicídio pelo qual cumpriu pena. “Eu matei sim, mas não estuprei. Isso tudo aconteceu porque fui reconhecido por ela, mas eu queria só furtar mesmo”, afirmou o criminoso.

Suspeito de mais uma morte

No desenrolar das investigações, a polícia descobriu indícios que podem levá-lo a responder por mais um homicídio.

O corpo do homem de 22 anos, foi achado em um rio da cidade três dias após o assassinato de Maria Conceição. “Ele estava desaparecido há uma semana e, segundo a mãe, o jovem havia sido ameaçado por José”, finalizou o delegado. 


Comments are closed.