O Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM), a Polícia Civil (PC) e o Ministério Público de Araguari já estão apurando os dois casos de bebês que tiveram suas cabeças separadas do corpo durante o parto na Santa Casa de Araguari.

Com relação ao Ministério Público de Araguari, o promotor Fernando Zorzi já encaminhou toda a documentação do primeiro caso para perícia em Belo Horizonte para descobrir se houve falha médica ou não. Já a respeito do segundo caso, o pai da criança, Élder Jônatas, deve ser ouvido pela promotoria nos próximos dias.

Continua após a publicidade

Já o Conselho Regional de Medicina do estado informou para a produção da TV Vitoriosa que os dois casos já estão sendo apurados separadamente e que todo o processo deve ser concluído em até 90 dias.

Por fim, a Polícia Civil disse as investigações do primeiro caso ainda estão sendo apuradas, mas estão paralisadas, já que a delegada responsável está de férias no momento. Mas a produção da TV Vitoriosa não obteve resposta a respeito do caso divulgado nesta semana.

Mãe do primeiro caso lamenta

O primeiro caso ocorreu em outubro do ano passado, com a dona de casa Tânia Borges Vieira da Silva, que perdeu a filha Rebeca durante o parto na Santa Casa de Araguari. Em entrevista para a equipe de reportagem da TV Vitoriosa, lamentou que nenhuma providência foi tomada desde então.

“É um sentimento de raiva, incapacitada de não poder fazer nada, e ver que o médico ainda está exercendo sua profissão. Mas aconteceu o que aconteceu por que ninguém faz nada”, disse a dona de casa.

Saiba Mais

Bebê tem a cabeça arrancada durante o parto em Araguari, diz a parturiente

Bebê tem a cabeça arrancada no parto e é o segundo caso na Santa Casa de Araguari

Informações: Vinícius Lemos


Comments are closed.