Empresária nega ter mandado matar a mãe

Com a cabeça baixa, não querendo mostrar o rosto, a empresária Gizela Boneli Diniz Costa, de 43 anos, declarou-se inocente durante a apresentação da Polícia Civil, nesta quinta-feira (15). A mulher é investigada por ter mandado matar a própria mãe em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, com a ajuda do marido e do filho, um adolescente de 16 anos. O trio ainda tentou simular um suicídio da aposentada.

“Eu não mandei matar minha mãe. Muita gente está falando atrocidades, mas eu quero provas”.

O crime aconteceu no dia 11 de janeiro de 2017 dentro do imóvel da idosa Darina Regina Diniz Costa, de 70, no bairro Angola. De acordo com as investigações, a criminosa e o marido Romildo Souza Dias, de 49, enfrentavam uma crise financeira e resolveram cometer o crime para ficar com uma herança de R$ 200 mil que a idosa receberia. Orientado pelos pais, na noite do crime, o garoto foi até o imóvel da avó e começou a conversar com ela para distrai-lá. Os executores, Bismarck Silva Amaral, de 29 anos, e Samuel Soares dos Santos, de 26, entraram na residência, pegaram uma barra de ferro que ficava atrás da porta da cozinha e espancaram a vítima. A mulher teve três costelas quebradas e várias lesões no crânio.

Não satisfeita, a dupla ainda levou Darina para a cozinha, onde ela foi colocada em uma corda para simular um enforcamento. Pelo crime, Amaral e Santos receberam R$ 250 cada. Eles, que foram presos ainda no ano passado, chegaram a comparecer ao velório de Darina e ameaçaram familiares dela. Os bandidos negaram o crime.

Prisão em Bambuí

Gizela foi presa no dia 22 de fevereiro deste ano em uma fazenda na cidade de Bambuí, na região Centro-Oeste do Estado, durante uma operação da Polícia Militar. “Ela estava no imóvel de um amigo e, quando os policiais pediram o documento, constataram que havia um mandado de prisão com a Gizela, que estava foragida há cerca de um ano”, contou o delegado Rodrigo Otávio Rodrigues.

A criminosa, o marido e o filho foram para Bambuí ainda durante as investigações. Eles chegaram a prestar três depoimentos. “Gizela afirma que não matou a mãe. Disse que outras pessoas cometeram o crime, mas não aponta o nome de ninguém. Nós, agora, tentamos localizar o marido e o filho dela”, finalizou o policial.

Foragido

O marido de Gizela, Romildo Souza Dias, é considerado foragido da Justiça. O filho do casal tem um mandado de busca e apreensão em aberto. Segundo a polícia, os dois também estavam na fazenda em Bambuí, mas escaparam antes da chegada da polícia. 

Manifestantes protestam em BH pela morte de vereadora carioca

Minas Gerais teve 118 surtos de conjuntivite em 60 cidades