Durante o temporal em BH no fim da tarde desta sexta-feira (16), diversos vídeos circularam nas redes sociais mostrando avenidas e ruas alagadas pela capital. Mas um deles, em especial, gravado na avenida Francisco Sá, no bairro Prado, na região Oeste, chama mais a atenção pelo impacto da cena: as imagens exibem nove carros sendo arrastados pela via, na esquina com a rua Erê, como se fossem brinquedos, tamanha a força da água. Dois deles, inclusive, ficam de rodas para o ar várias vezes enquanto estão parcialmente submersos.

Veja:

Continua após a publicidade

A reportagem conversou com a funcionária de uma lanchonete que fica em frente ao local onde o vídeo foi gravado. Ela conta que os funcionários e clientes não viram o que acontecia do lado de fora porque assim que a enchente começou o estabelecimento fechou as portas e todos se esconderam no imóvel.

“Não vimos essa situação dos carros porque já estávamos com as portas fechadas quando aconteceu. Entrou muita água de repente na loja, na altura do joelho. Todos correram para dentro e graças a Deus ficamos protegidos”, afirma Winata do Nascimento de Moares, de 19 anos, balconista do “Lanche da Hora”.

“Foi algo inesperado, nunca aconteceu dessa forma por aqui. Não tivemos prejuízos, com a perda de equipamentos, por exemplo. Mas a água deixou o chão todo sujo e vamos ter muito o que limpar”, completa.

A proprietária de um outro restaurante na avenida Francisco Sá, que pediu para não ser identificada, relata que o estabelecimento dela tem uma proteção, que impediu a invasão da água. “Ninguém estava no restaurante na hora que aconteceu e só vimos os carros rolando na porta do estabelecimento em vídeos nas redes sociais. Ficamos aterrorizados, mas, felizmente, não tivemos nenhum prejuízo”, ressalta.

FOTO: Ramon Bitencourt/O Tempo
ROB_CHUVA00023.jpg
Carros arrastados pela enchente também na rua Ituiutaba

O Corpo de Bombeiros informou que não há registro de feridos por causa da enchente na avenida. A corporação explicou que quando os militares chegaram ao local, os carros já não estavam mais submersos e não haviam pessoas dentro dos veículos. 


Comments are closed.