O dia seguinte à chuva que arrasou Belo Horizonte foi ainda de transtornos. Neste sábado (17) no fim da manhã, Defesa Civil e bombeiros já somavam 127 ocorrências, e moradores de ao menos seis bairros amanheceram sem luz. Semáforos estragados deixavam o trânsito complicado, e uma chuva de intensidade menor no início da tarde fez piorar o cenário.

Moradores de áreas mais afetadas lamentavam ter que passar, mais uma vez, pelo mesmo sufoco e já previam que a situação vai se repetir no próximo temporal. “Trabalho aqui há dois anos, achei que já tinha me acostumado com essa situação, mas não. Foi a pior vez. Senti medo. Tampa de bueiros saíram, ratos para todos os lados, os carros davam cambalhota na água”, contou Mercês Câmara, dona de uma banca de revista no Gutierrez.

Com trechos deteriorados por causa do temporal, o empresário Juliano Siqueira teve dificuldade para percorrer de carro alguns pontos do bairro, como a esquina da rua Bernardino de Lima com a avenida Francisco Sá.

Continua após a publicidade

“Sexta-feira fiquei com medo da água entrar em minha casa, que fica no primeiro andar. É desesperador, não sabia se saía ou se ficava, porque do lado de fora estava muito pior. Agora, as ruas estão cada vez mais cheias de buracos”, reclamou.

A Cemig confirmou que os bairros Sion, Santo Antônio, São Pedro, Gutierrez, Nova Suíça e Prado passaram o dia com problemas de luz. A promessa era de normalização até as 22h.

Os bairros Luxemburgo, Santa Lúcia e São Bento, todos na região Centro-Sul, foram alguns dos que mais exigiram atenção para a limpeza, conforme a regional Centro-Sul da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU).

Na região Oeste, no Gutierrez, os semáforos apresentaram problemas e uma equipe da BHTrans percorreu a região para reparar os danos. Anteontem, o córrego dos Pintos inundou a avenida Francisco Sá, onde, mais uma vez, vários carros foram levados pela enxurrada.

A previsão para domingo, segundo a Defesa Civil, é de possibilidade de pancadas de chuva, típicas do período de Verão, de curta duração, curtas e localizadas. O calor deve permanecer.


Comments are closed.