Santa Vitória viveu nesta terça-feira, 20, de março, um dia emblemático na seara da justiça.

Um júri popular de extensa duração, realizado no Fórum Homero Santos, com cerca de nove horas, marcou o dia e o judiciário no município e na região, onde se julgava um delicado caso, envolvendo um escrivão da Polícia Civil e a morte de uma criança durante uma diligência no intuito de cumprir um mandado de prisão, e que, infelizmente, terminou na morte acidental do garoto.

O caso gerou grande repercussão e comoção em Santa Vitória e na região do Pontal do Triângulo Mineiro.

Continua após a publicidade

No processo de número 0027254-72.2014.8.13.0598, o Ministério Público denunciou o escrivão, Leonardo Thadeu Ramos de Napolis, que foi afastado de suas funções após o ocorrido na noite do dia 29 de setembro de 2014.

Quase quatro anos após o fato, o réu foi levado a júri popular, sustentando a acusação a tese de desclassificação para homicídio culposo, quando não há intenção de matar, com agravante pelo acusado ser servidor público.

A defesa, por sua vez, buscava a absolvição de Leonardo, que estava no estrito cumprimento do dever legal, por força de um mandado lícito.

Segundo informações, a audiência foi marcada por tristeza, tanto do réu, que chorou bastante durante o procedimento, e da família da criança, que também estava comovida.

Ao final, por decisão da maioria dos jurados, Leonardo foi absolvido e poderá retornar suas atividades na Polícia Civil. Caberá a acusação decidir se recorrerá ou não da decisão.

Relembre o caso.

Polícia Civil envia Nota Oficial à Imprensa sobre morte de criança em Santa Vitória


Comments are closed.