Com o quarto todo rosa, roupinhas e objetos comprados, o açougueiro Roberto Alves da Silva Filho, de 32 anos, e a companheira de 22 aguardavam ansiosamente a chegada de Maria Clara Araújo Alves, primeira filha do casal. A menina é uma das quatro crianças que morreu no Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro de Uberaba, nessa terça-feira (20). Segundo a unidade de saúde, os recém-nascidos podem ter sido contaminados pela bactéria Enterobacter cloacae multissensível.

“Minha companheira e eu estamos juntos há três anos, e a minha filha sempre foi muito desejada. Maria Clara nasceu prematura, de sete meses e meio, no dia 8 de março. Desde então, todos os dias que nós íamos ao hospital, eles falavam que ela estava bem, ganhando peso”, contou o pai.

Na madrugada de terça, a família recebeu uma ligação para que comparecesse à unidade de saúde, onde foi informada da morte da menina.

Continua após a publicidade

“Já desmontei o berço e doamos algumas coisa. Não sabemos ainda se vamos entrar na Justiça. Pelo que víamos, ela era bem tratada no hospital. Está tudo recente”, afirmou.  A garotinha foi sepultada ainda nessa terça.

A reportagem  de O TEMPO não conseguiu localizar os parentes dos outros bebês mortos. 


Comments are closed.