Em pouco mais de 10 horas de julgamento, e com quatro votos a favor e dois contra, o policial civil, Leonardo Thadeu Ramos de Nápolis foi absolvido pelo júri popular nesta terça-feira, 20. Ele foi acusado de homicídio culposo (quando não há intenção de matar) pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) pela morte do pequeno Kauã Henrique dos Santos, de 4 anos.

O julgamento aconteceu, no Fórum Ministro Homero Santos, em Santa Vitória. Para o júri, o caso foi uma fatalidade, pois o policial não tinha a intenção de matar o menino.

Kauã foi morto na noite de 29 de setembro de 2014, após ser atingido por um tiro nas costas na Avenida Um, no Bairro Dom Alexandre. Os policiais cumpriam um mandado de prisão por tráfico de drogas contra o tio do garotinho. Para escapar, o homem fugiu pelos fundos da casa, pulando o muro. O policial atirou, o projétil atravessou o muro, resvalou na parede da casa e atingiu o garotinho que brincava próximo.

Continua após a publicidade

A criança morreu a caminho do hospital e o tio dela, Ednilson José dos Santos, foi preso no mesmo dia, por tráfico de drogas.

Não cabe recurso da decisão.

Veja na reportagem de Jaki Barbosa


Comments are closed.