Um motorista de ônibus não parou no sinal vermelho e prensou um Fiat Uno em outro carro que estava parado no semáforo, por volta das 5h40 desta quinta-feira (22), na avenida Antônio Carlos, no bairro Liberdade, na Pampulha, bem em frente ao campus da UFMG. O coletivo da linha 5425 (Céu Anil/Kátia/Venda Nova) bateu na traseira do Uno que estava parado e este foi prensado em um Fiat Línea que estava parado na frente, na pista sentido Lagoa da Pampulha.

O Uno foi totalmente destruído, dobrado ao meio, e o motorista, Leonardo Silva, de 35 anos, ficou preso às ferragens e teve perda temporária da consciência, sendo preciso o Corpo de Bombeiros cortar a lataria para retirá-lo dos destroços. Leonardo foi socorrido consciente no Hospital Odilon Behrens com escoriações e suspeita de fratura na face.

De acordo com o cabo do Batalhão de Trânsito da PM, Járede Douglas, o ônibus trafegava em alta velocidade. “O Fiat Uno e o Línea estavam parados no semáforo e o coletivo veio em velocidade elevada e colidiu contra o Uno. O motorista do ônibus não percebeu que os veículos estavam parados na sinalização semafórica, ele se distraiu e cometeu o acidente. O Fiat Uno ficou prensado”, relatou o cabo.

Continua após a publicidade

O trânsito, segundo o cabo, parou complemente em toda região. Todo o local foi sinalizado e o tráfego da pista lateral da Antônio Carlos foi desviado para a pista central do MOVE,

O Fiat Línea, que estava parado na frente do Uno, pertence ao agente penitenciário Reginaldo Ferreira, de 32, que disse ter levado um susto quando o ônibus jogou o Uno para cima do carro dele. “Eu estava vindo, sentido Pampulha, para pegar plantão, e parei no sinal. Olhei no retrovisor e o Uno tinha parado atrás de mim, normalmente. Quando o sinal abriu, eu fui arrancar e só senti a pancada. Um ônibus bateu nele, e ele colidiu comigo, e arrastou o meu carro mais para a frente. O Uno rodou na pista. Eu vi pelo retrovisor”, contou o agente penitenciário.

Segundo Reginaldo, os bombeiros tiveram muito trabalho para retirar o motorista do Uno das ferragens. “Tiveram que serrar a porta, que estava muito amassada. O carro ficou todo destruído. Mas, graças a Deus, aparentemente não teve nada tão sério assim”, comentou o motorista do Línea.

A reportagem conversou com o motorista do ônibus, Júnior Pereira Miranda, de 36. Ele disse que deu um branco na cabeça dele e que, quando percebeu, já tinha batido na traseira do Uno. Ele conduzia o ônibus com apenas uma passageira, sem cobrador, e os dois não tiveram nada.

Júnior contou que era a primeira viagem dele, que saiu às 4h20 do bairro Céu Anil, em Ribeirão das Neves, e que estava retornado do Centro de Belo Horizonte para Neves.

Júnior disse ter dormido bem à noite e que está descansado, pois retornou das férias em janeiro. Disse que não sabe o que pode ter acontecido. Segundo a PM, ele não apresentava sintomas de embriaguez. O motorista do Fiat Línea também saiu ileso.

A pista externa da Antônio Carlos, sentido Pampulha, somente foi liberada às 8h20, quando o trânsito voltou a fluir normalmente.


Comments are closed.