Um vendedor ambulante se emocionou ao ter toda sua mercadoria comprada por moradores de Montes Claros, no Norte de Minas Gerais, para evitar que fiscais da prefeitura recolhessem os salgados e sucos que ele vendia.

Em um vídeo que circula nas redes sociais, desde essa quinta-feira (22), é possível ver uma multidão comprando a mercadoria do ambulante Leonardo Ferreira Soares, de 43 anos, que chora enquanto recebe o dinheiro.

Desempregado a quatro anos, o ambulante conta que atualmente tira seu sustento da venda dos sucos e salgados.

Continua após a publicidade

“Eu estou passando uma barra muito grande e vou para a rua vender salgados e suco. Ontem eu sai para fazer o dinheiro do gás e também comprar alguma coisa para minha casa, porque não tinha nada para comer”, lamentou Leonardo.

Todos os dias ele vai para a praça Doutor Carlos, no centro da cidade e realiza seu trabalho, mas ontem ele foi surpreendido pelos fiscais da prefeitura.

O ambulante conta que quando viu que teria a mercadoria apreendida ele começou a distribuir os sucos e salgados para as pessoas na praça. No entanto, os populares começaram a pagar pelos produtos e compraram tudo que ele tinha levado para a rua impedindo que os fiscais levassem a mercadoria.

Veja os vídeos:

 

 

Emoção


“Eu fiquei muito emocionado. Nunca tinha passado por isso. Juntaram cerca de 80 pessoas e elas começaram a colocar dinheiro no meu jaleco. Eu não conseguia reagir eu só chorava. Foi um ato muito bonito. Eu fiquei muito agradecido”, declara Leonardo.

Ontem o vendedor tinha saído de casa com 60 sucos e 50 salgados. Os sucos e os salgados são vendidos a R$ 2, porém ele disse que nesta quinta ele lucrou um pouco mais, já que algumas pessoas não quiseram nem troco quando derem para ele o dinheiro da mercadoria.

Segundo ele, com o dinheiro já foi possível comprar o gás e alguns alimentos para ele e a esposa que também está desempregada. O casal não tem filhos.

O que diz a prefeitura

Por meio de nota a Prefeitura de Montes Claros informou que  teve como objetivo fazer cumprir o código de posturas do município, uma vez que o centro da cidade é composto por ruas e calçadas estreitas.

Sendo assim essas vias não comportam a utilização de carrinhos que prejudicam o tráfego de veículos e colocam em risco a vida dos pedestres, principalmente idosos e crianças.

A operação teve participação da Receita Federal e da Polícia Militar e o alvo principal  foram os comerciantes que negociam produtos provenientes de contrabando, irregulares, e ainda aqueles que vendem frutas e verduras de grandes produtores, que chegam às ruas sem fiscalização.
 


Comments are closed.