Foto: Assessoria de Comunicação da Polícia Militar

O corpo do sargento Gilmar de Oliveira, de 51 anos, foi enterrado na manhã desta quinta-feira, 23, no Cemitério São João Batista, em Uberaba. O militar foi assassinado com um tiro na cabeça durante uma troca de tiros com assaltantes na BR-050, na madrugada de ontem.

O veículo do Corpo de Bombeiros levou o corpo até o cemitério. O cortejo foi acompanhado por policiais, com honras militares. Familiares, amigos, e representantes das demais forças de segurança da cidade também prestaram a última homenagem.

Continua após a publicidade

O sargento Gilmar estava acompanhado de um amigo, também policial, por volta de 2h da manhã, voltando de Barretos-SP, onde fazia um tratamento contra um câncer. Os pneus do veículo estouraram por causa de objetos cortantes colocados na pista. Quando desceram do carro eles foram surpreendidos por ladrões, que fugiram depois de atirar e levaram a arma do sargento.

Foto: Sandro Neves / JM Online

Entre as homenagens, houve salva de tiros, toque de silêncio e entrega da Bandeira Nacional à esposa do sargento.

Centenas de pessoas acompanharam o enterro. O caixão com o corpo do sargento da PM foi levado ao cemitério em carro aberto do Corpo de Bombeiros.

Polícia acredita que sargento foi vítima aleatória dos bandidos

O comandante da 5ª RPM, coronel Lupércio Peres, e o delegado-chefe do 5º Departamento de Polícia Civil em Uberaba, Heli Andrade, falaram durante coletiva com a imprensa sobre o assassinato do sargento Gilmar de Oliveira. Eles lamentaram a morte e disseram que os indícios apontam que ele foi uma vítima aleatória. Para eles, os assaltantes jogaram objetos na via para que parasse qualquer veículo que passasse.

As autoridades policiais também constataram que nenhum tiro foi disparado da arma da vítima, pois nenhum projétil do calibre foi localizado.


Comments are closed.