Conhecido como um dos maiores traficantes de Minas Gerais, Roni Peixoto, de 47 anos, progrediu para o regime semiaberto e conquistou os benefícios de saída temporária e trabalho externo.

Segundo a advogada de Peixoto, Paula Diniz Gouvêa, a progressão de regime foi concedida pelas varas de Execuções Penais de Contagem e Ribeirão das Neves, na região metropolitana de BH, porque Peixoto cumpriu um quarto da pena e tem “boa conduta carcerária”. Além disso, não há mandados de prisão abertos contra ele, o que, segundo a advogada, significa que “não há nenhuma circunstância que impeça o direito à nova progressão”.

Peixoto estava preso desde 2012 na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, e foi transferido recentemente para o Complexo Penitenciário Público-Privado III, em Ribeirão das Neves.

Continua após a publicidade

Em 2011, Peixoto chegou a progredir para o regime semiaberto, mas aproveitou o benefício para fugir. O homem atuava com traficante em toda a região metropolitana de Belo Horizonte e também foi acusado de homicídio, posse e porte ilegal de arma de fogo e formação de quadrilha. Ele é considerado um dos líderes da facção criminosa Comando Vermelho e apontado como braço direito de Fernandinho Beira-Mar.


Comments are closed.