De dentro da cadeia, com tempo ocioso, um homem arquitetou o assassinato da companheira com quem vivia em Caeté, na região metropolitana de Belo Horizonte. O motivo foi o fato da mulher ter denunciado o homem por violência doméstica e envolvimento com o tráfico de drogas. Ele e o filho, que também é investigado como mandante do crime, foram apresentados pela Polícia Civil nesta terça-feira (27).

Segundo o delegado Guilherme Catão, em junho do ano passado, a vítima de 37 anos acionou a polícia após ser agredida mais uma vez pelo marido. “Na ocasião, os policiais deslocaram até a casa dele e encontraram munições e drogas. O homem foi preso em flagrante. Enquanto estava preso, ele pediu ao filho que contratasse os executores da mulher”, contou o policial.

Obediente, seu filho, de 27, chamou dois adolescentes de 16 e 17 anos para que colocassem o plano em prática. No dia 12 de novembro de 2017, ao chegar na porta de casa, a mulher foi abordada pelos jovens, sendo atingida por dois tiros no braço e rosto. Ela foi socorrida e sobreviveu.

Continua após a publicidade

“Após o atentado, a vítima afirmou que os mandantes seriam o marido e o enteado. Os adolescentes foram ouvidos, confessaram o crime e confirmaram as identidades de quem solicitou a ação. Esses dois jovens estão apreendidos no Centro de Internação Provisória Dom Bosco”, afirmou o delegado.
Pai e filho seguem à disposição da Justiça presos no Presídio de Caeté.

Parceria no crime

Segundo a Polícia Civil, os dois eram responsáveis pelo comando do tráfico no bairro São Geraldo. “O adolescente mais novo tinha uma dívida de drogas com um dos suspeitos no valor de R$ 400 e aceitou ser o executor para quitar esse valor. Já o outro jovem participou por fidelidade aos mandantes mesmo”, destacou o delegado Catão.

À imprensa, pai e filho negaram que sejam mandantes da tentativa de assassinato e envolvimento com a venda de entorpecentes.


Comments are closed.