Afirmando que prisão é a “porta do inferno”, Luan Raphael Quirino Braz, de 19 anos, achava graça enquanto era apresentado pela Polícia Civil, nesta quarta-feira (28), com outros quatro homens, todos investigados por roubos a motoristas de aplicativos na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Os jovens foram presos na última sexta-feira durante a operação Apocalipse, em parceria da corporação com a Polícia Militar.

“Recebemos informações que muitos motoristas desses aplicativos eram chamados na vila Acaba Mundo para corrida até o aglomerado da Serra, onde buscavam drogas. No retorno à vila, eles aproveitavam ruas desertas, principalmente do bairro Comiteco, e cometiam os assaltos, levando pertences pessoais e dinheiros das vítimas”, contou a delegada Claudia Marra.

Continua após a publicidade

Na operação foram presos, além de Braz, que estava em Mateus Leme, na região metropolitana de Belo Horizonte, Natanael Gomes Gonçalves, de 18 anos, Maycon Douglas da Silva de Arruda, 20, Jardel Henrique dos Reis Galisa, 21 e Adilson de Almeida Silva, de 29 anos. “Os mandados dos quatro foram cumpridos nas residências deles na vila Acaba Mundo. Fizemos operações na região dos bairros Sion, Serra e em um trabalho conjunto e muito bem feito com a Polícia Civil foram realizadas as prisões”, afirmou o tenente-coronel Fábio Almeida, do 22º Batalhão de Polícia Militar.

Durante a coletiva de imprensa, Braz, Gonçalves e Reis negaram os crimes. Os outros dois optaram pelo silêncio.


Comments are closed.