Professor da UFMG diagnosticado com febre amarela recebe alta

Professor de medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Rodrigo Bastos Fóscolo teve alta após realização de transplante de fígado no Hospital Felício Rocho, em Belo Horizonte. A cirurgia foi necessária após diagnóstico de febre amarela

A contaminação teria ocorrido em Caeté, na Grande Belo Horizonte. O transplante de fígado ocorreu no dia 25 de fevereiro. Fóscolo ficou mais de um mês internado para recuperação. O órgão foi transportado de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, para Belo Horizonte.

No Hospital Felício Rocho, quatro transplantes de fígado já foram realizados. Duas pessoas não resistiram e morreram. Outras duas receberam alta.

Dados
O último boletim epidemiológico da Secretária de Estado de Saúde de Minas Gerais mostrou que 145 pessoas morreram em decorrência da febre amarela apenas no estado mineiro. Até o momento, 413 casos da doença foram registrados desde julho de 2017.

De acordo com o boletim, as mortes estão concentrados em 68 cidades – Antônio Carlos e Congonhas, na região Central, Sapucaí- Mirim e Coqueiral, no Sul do Estado, entraram na lista.

A região metropolitana de Belo Horizonte e a Zona da Mata seguem concentrando o maior número de casos da doença.

A única forma de prevenção é vacinação. Entre os 853 municípios do Estado, 22,16% deles não alcançaram 80% de cobertura vacinal, de acordo com o balanço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ministro promete campus da Federal de Lavras em São Sebastião do Paraíso

Jovens são presas por furtar ovos de Páscoa nas Lojas Americanas