Professor de medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Rodrigo Bastos Fóscolo teve alta após realização de transplante de fígado no Hospital Felício Rocho, em Belo Horizonte. A cirurgia foi necessária após diagnóstico de febre amarela

A contaminação teria ocorrido em Caeté, na Grande Belo Horizonte. O transplante de fígado ocorreu no dia 25 de fevereiro. Fóscolo ficou mais de um mês internado para recuperação. O órgão foi transportado de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, para Belo Horizonte.

No Hospital Felício Rocho, quatro transplantes de fígado já foram realizados. Duas pessoas não resistiram e morreram. Outras duas receberam alta.

Continua após a publicidade

Dados
O último boletim epidemiológico da Secretária de Estado de Saúde de Minas Gerais mostrou que 145 pessoas morreram em decorrência da febre amarela apenas no estado mineiro. Até o momento, 413 casos da doença foram registrados desde julho de 2017.

De acordo com o boletim, as mortes estão concentrados em 68 cidades – Antônio Carlos e Congonhas, na região Central, Sapucaí- Mirim e Coqueiral, no Sul do Estado, entraram na lista.

A região metropolitana de Belo Horizonte e a Zona da Mata seguem concentrando o maior número de casos da doença.

A única forma de prevenção é vacinação. Entre os 853 municípios do Estado, 22,16% deles não alcançaram 80% de cobertura vacinal, de acordo com o balanço.


Comments are closed.