No Engenhão, o Vasco venceu e abriu boa vantagem para a decisão do Campeonato Carioca Fonte: Paulo Fernandes/Vasco

Novamente no último segundo, suado e de forma emocionante, o Vasco largou em vantagem na decisão do Campeonato Carioca, neste domingo. A história da semifinal se repetiu, e desta vez Andrés Rios escreveu seu nome como herói do clube cruzmaltino ao marcar aos 48 do segundo tempo, de voleio, garantindo a vitória por 3 a 2 no Engenhão, na primeira partida da final. na próxima quarta-feira, o Vasco enfrenta o Cruzeiro, pela segunda rodada da primeira fase da Copa Libertadores.

Se na quinta-feira Fabrício marcou aos 49 e deu a vaga ao Vasco sobre o Fluminense, a insistência da equipe até o último lance foi novamente premiada neste domingo. E depois de um primeiro tempo eletrizante, com quatro gols em 45 minutos, Rios deu o triunfo ao time que mais criou na etapa final.

Continua após a publicidade

Melhor para o Vasco, que vai embalado e com vantagem para a segunda partida da final, domingo que vem. No Maracanã, a equipe precisará de apenas um empate para repetir a história de 2015 e 2016, quando ficou com o título sobre o mesmo Botafogo. Ao rival, fica a necessidade de vencer por dois gols de diferença. Se triunfar por um, a disputa vai para os pênaltis.

Em uma inesperada final, já que as equipes não venceram nenhum dos turnos e só foram à decisão graças ao esdrúxulo regulamento do Carioca, Botafogo e Vasco entraram em campo querendo mostrar que mereciam disputar o título. Quem começou melhor foi o time casa, que foi para cima e arriscou duas vezes nos primeiros lances.

O Botafogo apostava na marcação por pressão, era incisivo e foi recompensado pelo comportamento aos três minutos. Paulão se atrapalhou no domínio na entrada da área e, ao tentar o toque na direita, entregou no pé de Renatinho, que ainda foi mais rápido do que Martín Silva para marcar.

O Vasco tentou responder rapidamente e viu Rafael Galhardo assustar aos sete. Riascos, aos 24, tentou duas vezes e parou em Gatito. Apesar das chances criadas pelo time cruzmaltino, o Botafogo parecia dono do jogo, administrando a vantagem e mantendo a posse.

O rival, então, passou a apostar também na marcação por pressão, e se deu bem. Aos 28, Lindoso perdeu na intermediária, Wagner ficou com a sobra e deu ótimo lançamento para Pikachu, que chegou batendo de primeira para marcar belo gol. Os botafoguenses reclamaram bastante de falta em Lindoso.

O gol gerou um “apagão” no Botafogo, e a virada saiu apenas dois minutos depois. Wagner arrancou pela esquerda e deixou de calcanhar para Riascos. O atacante pedalou, passou por Marcinho como quis e cruzou. Yago Pikachu não conseguiu na primeira tentativa, mas aproveitou o bate-rebate para virar.

Em um jogo de altos e baixos de ambos os lados, foi a vez do Botafogo reagir e ganhar o campo de ataque. Aos 39, Leo Valencia cobrou falta da direita, Igor Rabello apareceu sozinho e finalizou de cabeça, em cima de Martín Silva. Cinco minutos mais tarde, Luiz Fernando tabelou com Marcinho e colocou na cabeça de Brenner, que finalizou com estilo, para a rede.

O segundo tempo prometia grandes emoções, mas ficou mesmo só na expectativa. As duas equipes sentiram o desgaste após a intensa primeira etapa e diminuíram o ritmo. O Botafogo até ficava mais com a posse, mas não transformava em oportunidades. Do lado do Vasco, a expectativa era no contra-ataque.

Valentim tentou mudar, tirou Leo Valencia e Brenner e viu os dois deixarem o gramado reclamando. Rodrigo Lindoso, de cabeça, perdeu grande chance. Mas as melhores oportunidades foram do Vasco. Aos 31, Thiago Galhardo fez grande jogada pela direita e, na saída de Gatito, tocou para Rios finalizar. Marcinho, em cima da linha, salvou de cabeça. Aos 39, Paulinho recebeu sozinho na área e parou em grande defesa de Gatito.

O empate parecia selado, quando aos 48 minutos, no último lance, o Vasco selou a vitória. Após cobrança de escanteio da direita e desvio na primeira trave, Andrés Rios apareceu e finalizou com estilo, de voleio, para marcar o terceiro.

BOTAFOGO 2 X 3 VASCO

BOTAFOGO

Gatito Fernández; Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Moisés; Marcelo, Rodrigo Lindoso, Renatinho (Marcos Vinícius), Leo Valencia (Rodrigo Pimpão) e Luiz Fernando; Brenner (Kieza). Técnico: Alberto Valentim.

VASCO

Martín Silva; Rafael Galhardo, Paulão, Erazo e Fabrício; Desábato, Wellington, Yago Pikachu, Giovanni Augusto (Paulinho) e Wagner (Thiago Galhardo); Riascos (Andrés Rios). Técnico: Zé Ricardo.

GOLS – Renatinho, aos três, e Yago Pikachu, aos 28 e aos 30 minutos do primeiro tempo. Andrés Rios, aos 48 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ).

CARTÕES AMARELOS – Renatinho, Rodrigo Lindoso, Joel Carli (Botafogo); Fabrício, Wellington, Rafael Galhardo (Vasco).

RENDA – R$ 541.370,00.

PÚBLICO – 16.337 pagantes (19.117 presentes).

LOCAL – Estádio Engenhão, no Rio (RJ).

Superesportes


Comments are closed.