Com uma moto de brinquedo na mão, feliz e brincando, o menino Miguel Albino, 2, nem parecia que tinha ficado perdido em uma mata por quase 30 horas há dois dias. Apesar das marcas de sol no rosto e das picadas de insetos no corpo, o garoto, que desapareceu em uma área usada como retiro espiritual no bairro Parque das Indústrias, em Betim, na região metropolitana, na sexta-feira, e foi encontrado por moradores da região no sábado, estava sorridente ao encontrar-se na noite desta segunda-feira (2) com o prefeito da cidade, Vittorio Medioli, que, assim como milhares de pessoas, se comoveu com o caso.

Medioli recebeu Miguel, os pais do menino – a doméstica Elisângela de Jesus, 39, e o pastor Ivan de Jesus, 48, – o irmão dele, e um dos homens que o encontraram, Raí Silva, 21, em seu gabinete. Antes de o menino ser localizado, o prefeito havia prometido uma recompensa de R$ 10 mil para quem achasse o garoto. No encontro, o prefeito reafirmou que entregará a quantia assim que as investigações da Polícia Civil forem concluídas.

“Temos que agradecer ao Raí, que achou o menino na mata, próximo a uma lagoa. Foi um ato muito bonito e que serviu para todos nós entendermos quanto vale uma vida. Isso serve de alerta para os pais, mas que, graças a Deus, nesse caso, acabou tudo bem. O Raí já prestou depoimento à polícia e, assim que as investigações forem concluídas e certificarem que ele foi o responsável por achar a criança, receberá a recompensa”, afirmou.

Continua após a publicidade

Raí Silva, que no dia em que encontrou Miguel chegou a dizer que não estava interessado na recompensa, reconsiderou a ideia e na segunda-feira disse que aceitará o dinheiro para dividir com os cunhados Jovânio Oliveira e Jonathan Aguiar Santana, que ajudaram a localizar o garoto. “Fiquei sabendo da recompensa só na delegacia quando fui entregar o Miguel, mas, diante da situação financeira da minha família, o dinheiro será bem-vindo. Servirá para ajudar meus cunhados, já que um deles está desempregado. Então, vou dividir com eles. E eu quero ajudar o Miguel também”, afirmou.

O pai do menino, Ivan de Jesus, aproveitou para agradecer ao prefeito e às autoridades. “Foi com a ajuda de vocês que meu filho está aqui com a gente de novo. Que Deus abençoe a todos”, afirmou.

 

Bombeiros vão apurar o motivo de buscas terem sido interrompidas

O Corpo de Bombeiros informou nesta segunda-feira que vai investigar o motivo que levou os agentes da corporação a interromperem as buscas por Miguel Albino no sábado à tarde. Pouco antes de o menino ser encontrado por três homens na mesma mata em que desapareceu, os militares pararam de procurá-lo.

Segundo os bombeiros, a interrupção temporária das buscas não é um procedimento padrão nesse tipo de caso. Por isso, as circunstâncias que motivaram essa decisão serão investigadas.

Polícia Civil. Já o delegado Regional de Betim, Álvaro Huertas, confirmou na segunda-feira que a Polícia Civil abriu inquérito para investigar as circunstâncias do desaparecimento do menino. As investigações ficarão a cargo do 3º Distrito Policial de Betim. Segundo Huertas, todos os envolvidos prestarão depoimentos.

Perdido

Versão do menino. A mãe do menino, Elisângela de Jesus, reafirmou que está convencida de que o menino ficou mesmo por quase 30 horas perdido na mata. “Antes de o Miguel ser encontrado, eu achava que ele tinha sido raptado. Mas pelo estado dele, acho que ele realmente se perdeu na mata. Eu já perguntei várias vezes se tinha alguém com ele, mas o Miguel disse que não, que havia apenas vários cachorros e que ele dormiu sozinho na mata”, contou.


Comments are closed.