Funcionários e pacientes atendidos na Maternidade Odete Valadares, em Belo Horizonte, fizeram na tarde desta terça-feira (3) um abraço simbólico para chamar a atenção para os problemas da instituição. Na semana passada, uma denúncia de infestação de formigas no CTI Neonatal veio à tona após a circulação de um vídeo em redes sociais.

Segundo a diretora da Associação Sindical dos Trabalhadores em Hospitais de Minas Gerais (Asthemg), Mônica Abreu, a infestação ocorre desde setembro passado e ainda não foi totalmente resolvida, mesmo após a realização da dedetização. “A maternidade também tem goteiras e alagamentos”, disse.

A cozinheira Flávia Ferreira, de 21 anos, teve um parto prematuro na maternidade, onde a filha segue internada. Ela diz que a estrutura está em decadência. “As paredes estão descascando, os banheiros não estão em condições. A gente depende do hospital, precisa dele”, afirmou. “Minha filha não tinha a menor chance de vida, maternidade alguma na minha cidade queria me internar, e aqui eles me acolheram muito bem”, disse Flávia, que mora em Juatuba, na região metropolitana.

Continua após a publicidade

A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais informou que, desde o início da semana passada, não foi registrada ocorrência de formigas, e que a situação está sendo monitorada diariamente. Sobre os demais problemas, a entidade afirmou que muitos foram corrigidos e outros estão sendo solucionados.

A diretora afastada após a denúncia de infestação de insetos já retornou às atividades.


Comments are closed.