Um investigador da Delegacia Especializada de Investigações de Crimes Cibernéticos de Belo Horizonte, identificado apenas por Carlos Eduardo, foi atacado por dois assaltantes que jogaram gasolina nos olhos dele, por volta das 10h da manhã desta quarta-feira (4), quando ele estava sozinho dentro de uma viatura caracterizada da corporação. O crime foi próximo ao número 70 da rua Pampas, no bairro Prado, região Oeste da capital.

“Jogaram gasolina nos olhos dele e ele não enxergou mais nada. Os ladrões levaram a pistola Imbel calibre ponto 40, que pertence à corporação. Não levaram mais nada”, informou o presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais, Denilson Martins. Segundo ele, o policial tem pouco tempo na corporação.

“Esse modo de agir dos bandidos é diferente, de jogar gasolina nos olhos da vítima. Os bandidos agiram com dolo. Eles tinham a intenção de assaltar e foram ousados. Sabiam que estavam roubado um policial civil”, comentou Denilson.

Continua após a publicidade

Ainda de acordo com o presidente do Sindpol, o policial ficou sem enxergar nada e foi socorrido por pessoas que estavam na rua. “De imediato, o serviço de apoio da Polícia Civil foi acionado”, acrescentou Denilson. Um porteiro do Hospital Socor contou que o policial chegou pedindo ajuda, pois tinha sido assaltado “por dois indivíduos que jogaram gasolina no rosto dele e subtraíram a arma da carga da Polícia Civil”, consta no relatório da Polícia Militar. “O policial estava na viatura caracterizada da Polícia Civil”, conclui o relatório.

A Polícia Civil está tentando identificar os assaltantes por meio de imagens de câmeras de segurança de imóveis e comércio da rua Pampas. As investigações são acompanhadas pela Corregedoria da Polícia Civil, pelo fato de haver policial envolvido. “Isso que aconteceu não é novidade. Acontece com frequência com policial civil, que fica muito mais exposto. Ao contrário da policial militar, ele não trabalha com uma guarnição. Trabalha sozinho”, disse Denilson.

A Polícia Militar (PM) não revelou informações do boletim de ocorrência, por envolver policial de outra corporação. Por meio de nota, a Polícia Civil disse apenas que “um investigador de polícia foi abordado por dois indivíduos não identificados, no bairro Prado. Os suspeitos jogaram gasolina no olho do policial, que recebeu apoio do Grupo de Pronta Resposta da Polícia Civil (GPR). Ele foi encaminhado ao hospital, já recebeu alta e passa bem. O caso será investigado”, conclui a nota.

Atualizada às 19h40.


Comments are closed.