A conta de luz deve ficar mais cara para os mineiros em breve. No próximo dia 28 de maio, a Cemig terá uma reunião com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para definir os valores do reajuste, que devem ficar na casa dos 25%.

A empresa justificou que esse aumento foi definido pela agência reguladora de energia elétrica em todo o país, que já havia sugerido esse reajuste médio de 25% no último mês de março. A justificativa da Aneel é que essa revisão tarifária é feita com o objetivo de manter o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão.

Continua após a publicidade

Para os consumidores de alta tensão, como empresas de grande porte, a conta de energia ficará 34% mais cara. Já para os consumidores de baixa tensão, como residências, o reajuste ficará na casa de 22%.

Em entrevista coletiva na última terça-feira, o diretor financeiro da Cemig, Maurício Fernandes, afirmou que além da empresa ter de acatar o aumento sugerido pela Aneel, apenas 4% do valor reajustado será repassado para a concessionária.

“O reajuste segue uma metodologia do operador do sistema. Não é que a Cemig vai lá e determina o reajuste que vai ser. Ele segue uma série de regras pré-determinadas a cada cinco anos. É uma regra da Aneel, não é uma regra que a Cemig determina, ou seja, isso vale pra todas as operadoras”, explicou.

Balanço financeiro

A notícia de que o reajuste deve realmente acontecer veio junto da divulgação do balanço financeiro da Cemig, que anunciou um lucro líquido de 1 bilhão de reais em 2017. Os números são consideravelmente melhores que os obtidos em 2016, quando a empresa arrecadou 355 milhões de reais.

A Cemig disse que os bons números de arrecadação no ano passado ocorreram por conta de investimentos realizados na prestação de serviços, queda de juros da Taxa Selic e redução de despesas operacionais.

Informações: Agência Brasil e Rádio Itatiaia


Comments are closed.